O (im)possível do educar na cibercultura: reflexões psicanalíticas sobre educação, tecnologia e os desafios da docência na contemporaneidade

Samuel Alcântara, Maria Celina Peixoto Lima

Resumo


No campo da educação frequentemente nos deparamos com o mal-estar docente diante dos novos dispositivos tecnológicos que adentram as salas de aula, seja pelas mãos dos alunos, seja pela utilização de novas tecnologias aplicadas ao contexto educacional. Portanto, este estudo é uma investigação teórico-reflexiva acerca dos desafios da educação, incluindo professores e alunos, diante da cibercultura e da hiperconectividade contemporânea. Este trabalho apresenta uma discussão sobre as inovações tecnológicas vigentes na sociedade e suas vinculações com as dinâmicas e práticas pedagógicas, com base em contribuições de estudos em educação, filosofia, sociologia e psicanálise. Nesse contexto, a psicanálise, ao abrir espaço para a construção de um saber e para a produção de efeitos de significação num sujeito que, com isso, poderia transcender o lugar que lhe cabe no social e apontar na direção de seu desejo, parece oferecer algumas pistas para se pensar a relação entre a educação e as novas tecnologias.

Palavras-chave


psicanálise; educação; docência; tecnologia; cibercultura

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, E. Relações entre tecnologias digitais e educação: perspectivas para a compreensão da aprendizagem escolar contemporânea. In: FREITAS, M. T. D. A. (Org.). Cibercultura e formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Teixeira. Diretoria de Estudos Educacionais. Indicadores de fluxo escolar da educação básica.

Brasília: MEC, 2017.

BRUNO, A. R. Aprendizagem do adulto: contribuições para a construção de uma didática on-line. In: FREITAS, M. T. D. A. (Org.). Cibercultura e formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CASTELLS, M. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2009.

DUNKER, C. Intoxicação digital infantil. In: BAPTISTA, A.; JERUSALINSKY, J. Intoxicações eletrônicas: o sujeito na era das relações virtuais. Salvador: Álgama, 2017. p. 117-145.

FORBES, J. Inconsciente e Responsabilidade: Psicanálise do Século XXI. Barueri, SP: Manole, 2012.

FREUD, S. Contribuições para uma discussão acerca do suicídio. In: Edição Standard Brasileira

das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Vol. XI. Rio de Janeiro: Imago, 1910/2006.

______. Análise terminável e interminável. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas

Completas de Sigmund Freud. Vol. XXIII Rio de Janeiro: Imago, 1937/2006.

______. Observações sobre o amor de transferência. In: FREUD, S. Obras completas. São Paulo: Companhia das Letras, v. 10, 1915/2010.

______. O mal-estar na civilização. In: ______. Obras completas. São Paulo: Companhia das Letras, v. 18, 1930/2010. p. 13-122.

______. O futuro de uma ilusão. In: ______. Obras completas. São Paulo: Companhia das Letras, v. 17, 1927/2014.

GUTIERRA, B. C. C. O mestre (im)possível de adolescentes - uma especial posição subjetiva na

transmissão. Estilos da Clínica, 7(12), 36-47, 2002.

______. Adolescência, psicanálise e educação: o mestre "possível" de adolescentes. São Paulo:

Avercamp, 2003.

KUPFER, M. C. M. Educação para o futuro: Psicanálise e Educação. São Paulo: Escuta, 2000.

KURZWEIL, R. Como criar uma mente: os segredos do pensamento humano. São Paulo: Aleph, 2014.

LÉVY, P. Cibercultura. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2010.

LIPOVETSKY, G.; CHARLES, S. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

MARIOTTO, R. M. M. Algumas contribuições da psicanálise à educação a partir dos conceitos de transferência e discurso. Educar em Revista, Curitiba, v. 64, p. 35-48, Abril/Junho 2017.

MARTINS, J. B. A formação de professores no âmbito da abordagem. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 467-476, Setembro/Dezembro 2014.

NÓVOA, A. et al. Pesquisa em educação como processo dinâmico, aberto e imaginativo: uma

entrevista com António Nóvoa. Educação e Realidade. Porto Alegre: UFRGS/FACED, 36(2),

PEREIRA, M. R. Os profissionais do impossível. Educação & Realidade, 38(2), 2013.

PRIOSTE, C. O adolescente e a internet: laços e embaraços no mundo virtual. São Paulo:

Edusp, 2016.

RÜDIGER, F. As teorias da cibercultura: perspectivas, questões e autores. 2ª. ed. Porto Alegre:

Sulina, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Samuel Alcântara

ISSN: 2674-905X