AS ARTES VISUAIS E AS RELAÇÕES DE PODER NO COTIDIANO ESCOLAR

Jacqueline Castro Gonçalves, Fabrício Barros Fidélis

Resumo


São inúmeras as representações por meio de imagens às quais os sujeitos são confrontados no cotidiano. Entretanto, as reflexões a respeito dessas imagens encontram-se aquém de necessidades discursivas que interliguem elementos estéticos e visuais ao que representam nas relações de poder na sociedade. Quando as artes visuais são abordadas de forma constitutiva de um singular campo do conhecimento e de aprendizagem, percebem-se limitações quanto ao acesso a materiais didáticos que relacionem imagens a relações de poder. Existe ainda uma ligação histórica das representações imagéticas trabalhadas no ambiente escolar relacionada a visões estereotipadas e preconceituosas, que esbarram em padrões sociais que dificultam a apreciação crítica das mesmas. A abordagem crítica das artes visuais pode favorecer a aquisição de conhecimentos e saberes de modo que possam agregar valores e significados capazes de provocar reflexões e mudanças paradigmáticas futuras em relação às imagens, tanto discursivas quanto atitudinais no conjunto de elementos visuais.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários