AS PERSPECTIVAS DE PETER MAYO SOBRE GRAMSCI E FREIRE PARA A EDUCAÇÃO DE ADULTOS: INTERFACES ENTRE O DIREITO À EDUCAÇÃO E A NECESSIDADE DO PSICOPEDAGOGO PARA INTERVIR NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM DOS EDUCANDOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - EJA NA LEITURA E NA ESCRITA

Galbênia Ferreira Borges, Analise de Jesus da Silva

Resumo


Este artigo, em sua primeira parte, apresenta uma reflexão acerca das interfaces entre o direito dos sujeitos da Educação de Jovens e Adultos - EJA à alfabetização e o paradoxo de nessa modalidade não haver o trabalho Psicopedagógico para intervir nas dificuldades de aprendizagem dos educandos na leitura e escrita. A falta da atuação do Psicopedagogo na EJA para orientar o professor alfabetizador, assim como para realizar a avaliação e intervenção pedagógica dos educandos me impulsionaram à militância pelo tema, para elucidar através de pesquisas, estudos e reflexões sobre as melhorias que os educadores e educandos teriam no processo de ensino e aprendizagem mediante a atuação psicopedagógica na modalidade. Logo, serão apresentadas as perspectivas de Peter Mayo sobre o trabalho de Gramsci e Freire acerca da Educação de Adultos e as possibilidades de uma ação transformadora. A conclusão desse estudo bibliográfico, dar-se-á mediante a comparações entre os fundamentos de Gramsci e Freire sobre a educação de adultos, tecendo diálogos com as interfaces entre o Direito do sujeito da EJA à educação, as dificuldades de aprendizagem enfrentadas pelos educandos no processo de aquisição da leitura e da escrita e a necessidade que há do trabalho psicopedagógico para intervir nas dificuldades de aprendizagem desses educandos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.