O TRABALHO DE MÉDICOS NO PMM: DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS NA ABORDAGEM CLÍNICA ENTRE CUBANOS E BRASILEIROS

Maria Patrícia Silva, Murilo Fahel, Nathan M. Souza

Resumo


O presente trabalho apresenta uma análise comparativa da abordagem clínica e social de médicos cubanos e médicos brasileiros inseridos no Programa Mais Médicos para o Brasil (PMMB). A pesquisa tem natureza qualitativa, realizada por meio de entrevistas semi-estruturadas com seis médicos cubanos e brasileiros do PMMB, em duas cidades de pequeno porte da região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. O processo formativo, a estrutura social, a vivência cultural permeiam os discursos dos médicos participantes, onde identificamos pontos que diferenciam as duas clínicas, de onde nos leva a afirmar que a abordagem clínica dos médicos cubanos aproxima muito mais de uma abordagem clínica ampliada. Em essência, há sim no discurso dos médicos cubanos uma preocupação com uma clínica que seja mais humanizada, um olhar pela dimensão do cuidado da saúde da população assistida, não apenas pela dimensão individual e que seja resoluta. As semelhanças são raras, pois o que aproximam os discursos dos médicos brasileiros e cubanos sobre a abordagem clínica, diz respeito muito mais a questões protocolares e próprias da gestão do serviço. O que também é enfatizado, tanto pelos médicos cubanos, quanto pelos médicos brasileiros, é a importância do fortalecimento da Atenção Primária a Saúde no Brasil, por meio do PMMB.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.