https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/issue/feed Linguagens nas artes 2022-01-21T17:23:13-03:00 Rangel Cerceau Netto rangel.netto@uemg.br Open Journal Systems <p>A Linguagens nas artes é um espaço de divulgação e debate de trabalhos acadêmicos envolvendo a área de artes e suas diferentes linguagens com conexões a outros campos de conhecimento, como os filosóficos, históricos, sociológicos e linguísticos. Busca-se contribuições de diversas linguagens que se fundamentam nas mediações discursivas do campo do ensino de artes e das artes visuais e plásticas em perspectiva que valorize a interdisciplinaridade. O periódico contempla a área de artes e as subáreas como a comunicação, história da arte, design, artes plásticas e visuais, a filosofia da arte e o restauro arquitetônico e pictórico.</p> <p><strong>Editor:</strong> Dr<strong>.</strong> Rangel Cerceau Netto.</p> https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/6419 REVISTA COMPLETA (V.2,N.2) Dossiê: “A arquitetura do Engano o Desafio da Representação Perspectiva no Universo Artístico do Mundo Moderno. 2022-01-21T17:23:13-03:00 Rangel Cerceau Netto cerceaup@gmail.com <p>Resumo: Apresentação sobre a revista e o Dossiê Temático</p> <p>&nbsp;</p> <p>Palavras-chave: Pintura colonial; Iconografia Barroca; Perspectiva; Pintura de Teto</p> <p>&nbsp;</p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Rangel Cerceau Netto https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/6417 Expediente 2022-01-21T16:35:03-03:00 Rangel Cerceau Netto cerceaup@gmail.com <p>Informações sobre a revista e seus Editores e patrocinadores da Revista.</p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Rangel Cerceau Netto https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/6418 Editorial V2, N.2 Dossiê: “A arquitetura do Engano o Desafio da Representação Perspectiva no Universo Artístico do Mundo Moderno” 2022-01-21T16:41:56-03:00 Rangel Cerceau Netto cerceaup@gmail.com Magno Moraes Mello magnomello@gmail.com <p>Apresentação do periódico e olhar dos editores sobre o processo editorial</p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Rangel Cerceau Netto; Magno Moraes Mello https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/5682 Reflexões sobre o conceito e algumas teorias clássicas do Barroco. 2021-06-06T20:34:55-03:00 Rosana de Figueiredo Angelo rosanafangelo@gmail.com <p>Resumo: O presente artigo pretende apresentar e discutir algumas teorias sobre o conceito de Barroco a fim de contribuir para as reflexões sobre esse tema. Para isso estabelecemos diálogos entre as obras clássicas de HeinrichWölfllin, WernerWeisbach, Emile Mâle, Victor-Lucien Tapié e Arnold Hauser, a partir das análises críticas de outros teóricos sobre o assunto. Reconhecemos os seus pensamentos como complementares na busca de se compreender as mentalidades do homem moderno e barroco que não se manifesta apenas nos aspectos artísticos e arquitetônicos,mas também é revelado nas formas de viver e sentir o mundo em seus aspectos religiosos, políticos, econômicos, sociais e culturais. <br />Palavras-chave: Barroco; Teoria; Cultura; Arte.<br />Abstract: The following article intends to presentand discuss some theories about the concept of Baroque in order to contribute to the notions surrounding this theme. For such, we established dialogues between the classic works of Heinrich Wölfllin, Werner Weisbach, Emile Mâle, Victor-Lucien Tapiéand Arnold Hauser, based on the critical analysis of other the orists on the subject. We recognize their thoughts as complementary in the quest to understand the mentalities of the modern and baroque manthatismanifested notonly in artisti cand architectural aspects, but is also revealed in the ways of living and feeling the world in its religious, political, economic, social and cultural aspects.<br />Key words: Baroque; Theory; Culture; Art.</p> <p>Recebido em: 03/05/2021 – Aceito em 04/05/2021</p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Rosana de Figueiredo Angelo https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/5900 O uso da perspectiva nas ilustrações xilográficas nos primeiros livros impressos: a construção do cenário 2021-07-06T22:50:57-03:00 Regiane Aparecida Caire Silva rcayre@gmail.com Maria Helena Roxo Beltran lbeltran@pucsp.br <p><strong>Resumo:</strong> No decorrer século XV a tipografia generalizou-se na Europa e com ela foram produzidos os primeiros livros impressos ilustrados com xilogravuras. A estrutura da elaboração da imagem impressa, desde objetos únicos como também em cenários mais sofisticados, tiveram em muitos casos a preocupação do uso da perspectiva. Encontramos em livros impressos soluções de volume com claros, escuros e profundidade em planos resolvidos por linhas. Isso nos leva a pensar que os artistas, impressores e gravadores tinham conhecimento de tratados e as discussões sobre perspectiva no século XV. Muitas vezes apenas as pinturas são citadas para essa representação ilusória, mas lembramos com este trabalho que as gravuras dos primeiros livros impressos também difundiram essa nova forma de representação. Neste trabalho analisamos imagens impressas em livros de destilação publicados intensamente durante o século XVI. Nelas, alambiques, retortas e fornos, entre outros aparatos, são representados em cenários perspectivados, favorecendo a construção de uma forma de leitura de imagens mais centralizada.</p> <p> </p> <p> </p> <p><strong>Palavras chave:</strong> História da Ciência; Ciência e <em>Technée;</em> Gravura; Livro impresso; Xilografia.</p> <p><strong>The use of perspective in woodcut illustrations in the first printed books: the scenario construction.</strong></p> <p><strong> </strong></p> <p><strong>Abstract: </strong>Since the 15<sup>th</sup> century, printing press became widespread in Europe, as well printed books illustrated with woodcuts. Images in early printed books show, in many cases, a deep concern about using perspective representations in images. Thus, one can observe, for instance, representations of volume suggesting bright, darks and depth using only lines. It leads us to think that artists, printers, and engravers got some knowledge on treatises and discussions about perspective, that emerged in Europe since the 15<sup>th</sup> century. Frequently, only paintings are quoted, in History of Art texts, as sources of this illusory representation. However, we have pointed out in our research that woodcuts in early printed books also contributed to spread this new form of representation. In this paper we analyze printed images in books of distillation published during the 16<sup>th</sup> century. In these books, images of alembics, retorts, and furnaces, among other apparatuses, are represented in scenarios that allowed the construction of a more centralized way of reading images, due to the use of perspective techniques.</p> <p><strong>Keywords:</strong> History of Science; Science and <em>Technée</em>; Engraving; Early Printed Books; Woodcut.</p> <p>Recebido em: 04/07/2021 – Aceito em 06/08/2021</p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Regiane Aparecida Caire Silva, Maria Helena Roxo Beltran https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/5845 A formação da paisagem cultural de Ouro Preto, Minas Gerais – Algumas características do processo de ocupação como constituintes da sua ambiência barroca 2021-07-15T16:43:02-03:00 Celina Borges Lemos celinaborg@gmail.com Paula de Souza Carmo Lobato linguagensnasartes@gmail.com <p>Resumo: O estudo sobre as origens da formação da paisagem cultural de Ouro Preto, antiga Vila Rica, analisa alguns vestígios relevantes registrados por respeitados estudiosos do tema como o arquiteto e escritor Sylvio de Vasconcellos. A ocupação e consolidação teve sua origem vinculada às descobertas de reservas auríferas e de outros minerais entre o final do século XVII e parte do século subsequente. As configurações, como no caso dos arraiais que resultaram na conformação citadina, ocorreram de forma longilínea, espraiada, sem definição de um centro polarizador ou dotado de centralidade. O crescimento desses arraiais dinamizados pela prosperidade socioeconômica culminou na constituição de uma primeira paisagem da vila. A definição do traçado, a topografia peculiar, a constituição da arquitetura religiosa e civil, entre outros fatores, vão condicionar a formação de uma paisagem cultural singular.<br />Palavras-chave: Configurações, cidade, paisagem, barroco, arraiais.</p> <p>Abstract: The study on the origins of the formation of the cultural landscape of Ouro Preto, formerly Vila Rica, analyzes some relevant vestiges recorded by respected scholars on the subject such as the architect and writer Sylvio de Vasconcellos. The occupation and consolidation had its origins linked to the discoveries of gold reserves and other minerals between the end of the 17th century and part of the subsequent century. The configurations, as in the case of the villages that resulted in the city's conformation, occurred in a long, sprawling way, with no definition of a polarizing center or endowed with centrality. The growth of these camps, boosted by socioeconomic prosperity, culminated in the creation of the village's first landscape. The definition of the layout, the peculiar topography, the constitution of religious and civil architecture, among other factors, will condition the formation of a unique cultural landscape. <br />Keywords: Settings, city, landscape, baroque</p> <p>Recebido em: 21/06/2021 – Aceito em 23/07/2021</p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Celina Borges Lemos, Paula de Souza Carmo Lobato https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/5927 A Pintura do Zimbório da Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Penitência da Cidade de São Paulo. 2021-07-23T23:44:49-03:00 Myriam Salomão myriamsalomao@gmail.com <p>Resumo: O presente texto é uma análise da pintura existente no zimbório da Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Francisco da cidade de São Paulo, localizada ao lado da igreja conventual, destacando suas particularidades em relação às demais representações franciscanas realizadas no Brasil. O conjunto é formado por seis painéis em forma de trapézio, com pinturas que simbolizam os Estigmas, as Virtudes Teológicas, o Hábito, as Regras, a Santíssima Trindade e os Votos, rodeando um painel circular central com o símbolo franciscano: dois braços cruzados sobre uma cruz, circundados por anjos. <br />Palavras-chave: Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, São Paulo, Brasil. Pintura colonial.Restauro de pinturas.<br />Abstract: This paper is an analysis of the existing paint on the dome of the Church of the Venerable Third Order of San Franciscoof the São Paulo city, located next to the convent church, highlighting their characteristics in relation to other Franciscan representations made in Brazil. The ensemble is formed from six panels in a trapezoid shape, with paintings that symbolize the Stigmata, the Theological Virtues, the Habit, the Rules, the Holy Trinity and the Votes, surrounding a central circular panel with the Franciscan symbol: two crossed arms over a cross, surrounded by angels.<br />Keywords: Church of Third Order of San Francisco, São Paulo, Brazil. Colonial painting. Restorationsofpainting.</p> <p>Recebido em: 06/07/2021 – Aceito em 28/08/2021</p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Myriam Salomão https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/5852 A pintura como científica e liberal: A defesa empreendida pelo português Filipe Nunes no tratado do Arte da Pintura. Symmetria e Perspectiva, Lisboa, 1615. 2021-07-06T23:23:46-03:00 Renata Nogueira Gomes de Morais remoraisbh@gmail.com <p><strong>Resumo:</strong>O objetivo deste artigo é refletir sobre a maneira que o dominicano Filipe Nunes defendeu a pintura em seu tratado Arte da Pintura, simetria e perspectiva, publicado em 1615, em Lisboa, pelo impressor Pedro Craesbeeck. <br /><strong>Palavras-chaves:</strong> Pintura, Perspectiva e liberalidade, cientificidade.</p> <p><strong>Abstract:</strong> The objective of this paper is to discuss the way the Dominican Filipe Nunes defended the painting in his treatise Art of Painting, symmetry and perspective, published in 1615, in Lisbon, by the printer Peter Craesbeeck.<br /><strong>Key words:</strong> Painting, Perspective and Liberality.</p> <p>Recebido em: 23/07/2021 – Aceito em 28/08/2021</p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Renata Nogueira Gomes de Morais https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/5346 Los tratados de geometría y perspectiva de Antonio de Torreblanca 2021-02-13T04:37:38-03:00 Javier Navarro de Zuvillaga javier.ndez@gmail.com <p>Resumen: La investigación tiene como objetivo indagar en el campo de la perspectiva, principalmente a través del estudio de los tratados, con especial interés en los tratados escritos en lengua española.En este contexto, el estudio se refiere al tratado de geometría y perspectiva, cuyo manuscrito es del siglo XVII. siglo del autor Antonio de Torreblanca, ensamblador y vecino de la ciudad de Villena.</p> <p>Palabra clave: Tratados;Geometría;perspectiva;Antonio de Torreblanca;siglo XVII</p> <p>Abstract: The research aims to investigate the field of perspective, mainly through the study of treatises, with special interest in treatises written in the Spanish language. In this context, the study refers to the treatise on geometry and perspective, whose manuscript is by 17th century by the author Antonio de Torreblanca, assembler and neighbor of the city of Villena.</p> <p>Keyword: Treatises;Geometry;perspective;Antonio de Torreblanca;17th century;</p> <p> </p> <p>Resumo: A pesquisa tem como objetivo investigar o campo da perspectiva, principalmente por meio do estudo da tratadistica, em especial interesse pelos tratados escritos na língua espanhola. Neste contexto, o estudo refere-se ao tratado de geometria e perspectiva, cujo manuscrito é do século XVII do autor Antonio de Torreblanca, montador e vizinho da cidade de Villena.</p> <p>Palavra Chave: Tratados; Geometria; perspectiva; Antonio de Torreblanca; Século XVII;</p> <p> </p> <p>Recebido em: 06/07/2021 – Aceito em 28/08/2021</p> <pre id="tw-target-text" class="tw-data-text tw-text-large XcVN5d tw-ta" dir="ltr" data-placeholder="Tradução"><span lang="pt"> </span></pre> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Javier Navarro de Zuvillaga https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/6060 A potência da quadratura e a pujança da Perspectiva na Lisboa Joanina 2021-09-06T11:08:08-03:00 Magno Moraes Mello magnomello@gmail.com <p>Resumo: O estudo propõe analisar a pintura perspéctica em Portugal no período que corresponde aos séculos XVII e XVIII. Esta abordagem enfatiza a relação da história da Ciência com a História da Artes atraves do estudo da produção dos tratados manuscritos ou impressos, será possível explicar melhor não só o papel fundamental da elite intelectual da época, como também o conhecimento de uma verdadeira postura teórica em relação a quadratura na perspectiva de Joanina. Nesse sentido, busca-se refletir sobre a arte decorativa e perspectica de São Vicente de Fora em Portugal. </p> <p>Palavra chave: Tratados; Arte de perspectiva; Arte decorativa; Saõ Vicente de Fora; Século XVIII.</p> <p>Abstract: The study proposes to analyze perspective painting in Portugal in the period corresponding to the 17th and 18th centuries. This approach emphasizes the relationship between the history of Science and the History of the Arts through the study of the production of manuscripts or printed treatises, it will be possible to better explain not only the fundamental role of the intellectual elite of the time, but also the knowledge of a true theoretical posture in relation to the square in Joanina's perspective. In this sense, we seek to reflect on the decorative art and perspective of São Vicente de Fora in Portugal.</p> <p>Keywords: Treaties; Perspective art; Decorative art; Sao Vicente de Fora; XVIII century.</p> <p>Recebido em: 03/09/2021 – Aceito em 30/09/2021</p> <p><span style="color: #202124; font-family: Roboto, 'Helvetica Neue', Arial, sans-serif; font-size: 20px; font-style: normal; font-variant: normal; font-weight: normal; letter-spacing: normal; line-height: 28px; orphans: auto; text-align: start; text-indent: 0px; text-transform: none; white-space: normal; widows: 1; word-spacing: 0px; -webkit-text-stroke-width: 0px; display: inline !important; float: none; background-color: #ffffff;"> </span></p> 2022-01-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Magno Moraes Mello