Design e artificialidade

uma crítica à polarização entre o natural e o artificial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36704/pensemdes.v1i2.6387

Resumo

Este artigo visa problematizar a polarização entre o natural e o artificial, a partir da caracterização do design como uma ciência do artificial, idealizada pelo economista Herbert Simon em seu livro ‘As ciências do Artificial’, de 1969. Como contraponto, utilizou-se a perspectiva ciborgue, estabelecida pela filósofa Donna Haraway, em seu texto intitulado ‘Manifesto Ciborgue’, de 1985. O método foi construído a partir da revisão dos dois textos em questão, visando extrair os argumentos essenciais de cada um, para uma discussão dos conceitos justapostos, demonstrando uma possibilidade diversa de entendimento acerca da noção de artificialidade. Por fim, ao refletir sobre como o design apoia-se discursivamente em valores externos para a definição de seus interesses enquanto disciplina teórica e prática, este estudo traz como contribuição uma reavaliação da teoria de Simon e uma proposta de um entendimento diverso, a partir de Haraway, acerca da relação entre o design e a artificialidade.

Biografia do Autor

Leandro Tadeu Catapam, Universidade Federal do Paraná

Bacharel em Design Gráfico, mestre em Design e doutorando em Design Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal do Paraná, PPGDesign -UFPR. Atua como professor no curso de graduação em Design e Artes Visuais da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC-PR, além de ministrar módulos em cursos de especialização da mesma instituição. Em 2020, publicou o artigo “As produções humanas e as mediações ferramentais”, no VII Simpósio Internacional de Inovação em Mídias Interativas.

Marcos Namba Beccari, Universidade Federal do Paraná

Doutor em Educação pela USP. É professor e pesquisador Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal do Paraná, PPGDesign -UFPR. Publicou e organizou mais de uma dezena de livros, dentre os quais se destacam: Das coisas ao redor: discurso e visualidade a partir de Foucault (Edições 70, 2020), Sobre-posições: ensaios sobre a insinuação pictórica (Áspide, 2019), e Articulações Simbólicas: uma nova filosofia do design (2ab, 2016). Influenciado principalmente por Nietzsche, Foucault e Paul B. Preciado, dedica-se ao ensino e à pesquisa em políticas de visualidade, estudos do discurso e estudos crítico-filosóficos em design.

Downloads

Publicado

01/01/2022

Como Citar

Catapam, L. T., & Beccari, M. N. (2022). Design e artificialidade: uma crítica à polarização entre o natural e o artificial. Pensamentos Em Design, 1(2), 20–31. https://doi.org/10.36704/pensemdes.v1i2.6387

Edição

Seção

Artigos Completos