Sífilis Gestacional - Tendência Temporal dos Casos Notificados entre 2012 e 2021 no Município de Patos de Minas – MG, Brasil: um estudo ecológico / retrospectivo.

Autores

  • Saulo Gonçalves Pereira Faculdade Patos de Minas
  • Caroline Fonseca Araújo Faculdade Patos de Minas
  • Hugo Christiano Soares Melo Faculdade Patos de Minas

Palavras-chave:

Gestante, IST, Sífilis, Grávidas, Complicações gestacionais.

Resumo

Introdução: A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível causada pela bactéria Treponema pallidum que causa no indivíduo uma infecção sistêmica. Sua apresentação durante a gravidez ocorre por via transplacentária da gestante infectada para o recém-nascido, podendo ocorrer em qualquer fase da gravidez. A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta a sífilis como uma doença de grande incidência sendo que no Brasil estima-se 1,6 milhões de notificações.

Objetivo: Elaborar uma revisão de literatura narrativa sobre o tema, além de apresentar os dados epidemiológicos retrospectivos do SINAN NET/SMS Patos de Minas - Gerência de Epidemiologia entre 2012 e 2021 sobre o possíveis casos de sífilis gestacional nesta cidade.

Métodos: Trata-se portanto de um estudo retrospectivo e quali-quantitativo, utilizando-se de dados de domínio público e acesso irrestrito no sistema acima citado

Resultados: Os resultados apresentam que nos últimos 10 anos houveram 152 notificações de casos de sífilis em gestantes no município, Percebe-se que a faixa etária que predomina nas notificações está entre 20-34 anos, cerca de 60% não concluíram o ensino médio (91 gestantes), 59% apresentaram a classificação clínica primária da sífilis e 85 gestantes foram tratadas com penicilina G benzantina 7.200.000 UI.

Conclusão: Os dados evidenciam que a sífilis é um problema de saúde coletiva e que deve ser melhor trabalhada de forma a prevenir novos acometimentos.

Palavras-chave: Gestante, IST, Sífilis, Grávidas, Complicações gestacionais.

Referências

BRASIL, Ministério da Saúde. Sífilis. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/infeccoes-sexualmente-transmissiveis/sifilis. 2022. Acesso em 15 abr. 2022.

BRASIL, Ministério da Saúde. Ministério da Saúde lança Campanha Nacional de Combate às Sífilis Adquirida e Congênita em 2021. Disponível em: http://aps.saude.gov.br/noticia/14217. Acesso em 16 abr. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Brasília: Ministério da Saúde, 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST/AIDS. Diretrizes para controle da sífilis congênita: manual de bolso. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. D

BRASIL. Secretaria de Vigilância em Saúde. Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico da Sífilis. Brasília: Ministério da Saúde; 2020.

CARDOSO, Ana Rita Paulo et al. Análise dos casos de sífilis gestacional e congênita nos anos de 2008 a 2010 em Fortaleza, Ceará, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, p. 563-574, 2018.

DALLÉ, Jéssica. Sífilis em gestantes e o tratamento do parceiro sexual. 2017, 53f. Dissertação (Mestrado em Ginecologia e Obstetrícia), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde: Ginecologia e Obstetrícia, Porto Alegre, 2017.

DANTAS, Lívia Azevedo. et al. Perfil epidemiológico de sífilis adquirida diagnosticada e notificada em hospital universitário materno infantil. Enferm. glob. v. 16 n. 46 Murcia abr. 2017 Epub 01-Abr-2017.

KINUE, Lara. Outubro Verde promove conscientização sobre sífilis congênita. Rádio Senado. 2020.

MARTINS, Claudia Renata Fernandes et al. Sífilis: Estratégias para Diagnóstico no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, Coordenação de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids. 2010. 100 p.

SÃO Paulo. Secretaria de Estado da Saúde. Centro de Controle de Doenças. Programa Estadual de DST/Aids. Centro de Referência e Treinamento DST/Aid. Guia de bolso para o manejo da sífilis em gestantes e sífilis congênita. São Paulo: Secretaria de Estado de Saúde, 2016. Disponível em: https://saude.campinas.sp.gov.br/doencas/sifilis/guiadebolsodasifilis_2edicao2016.pdf. Acesso em 09 abr. 2022.

SILVA, Gláucia Cristina Barbosa. RODRIGUES, Fernando Fachinelli. Fisiopatologia da sífilis congênita. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 03, Ed. 10, Vol. 04, pp. 122-136 Outubro de 2018. ISSN:2448-0959

SILVEIRA, Brisa Jorge et al. Perfil epidemiológico dos casos notificados de sífilis em gestantes em Minas Gerais, de 2013 a 2017. Revista Médica de Minas Gerais, v. 31. 2021.

SOUZA, B. S. O, RODRIGUES, R.M., GOMES, R. M. L. Análise epidemiológica de sífilis. Revista Sociedade Brasileira de Clínica Médica. v. 16, n.2, p. 94-98, abr-jun 2018.

Downloads

Publicado

2022-11-26

Como Citar

Gonçalves Pereira, S., Fonseca Araújo, C., & Soares Melo , H. C. (2022). Sífilis Gestacional - Tendência Temporal dos Casos Notificados entre 2012 e 2021 no Município de Patos de Minas – MG, Brasil: um estudo ecológico / retrospectivo. Ciência ET Praxis, 15(30), 44–62. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/praxys/article/view/6949

Edição

Seção

ARTIGOS - CIÊNCIAS DA SAÚDE