• Atividade do Stryphnodendron adstringens (Barbatimão), Nicotiana tabacum (Folha de Fumo) e Achillea millefolium L. (Mil-Folhas) como inibidor farmacológico natural contra Candida albicans.

Alessandra Suriani Martins, Gabrielle Figueiredo, Suzy Carvalho Oliveira, Marisa Cristina Fonseca Casteluber

Resumo


A Candida albicans é um microrganismo oportunista que compõe a microbiota normal do ser humano. Quando ocorre algum desequilíbrio imunológico, esse fungo pode causar infecções conhecidas como Candidíase. Tem sido relatada uma resistência da C.albicans aos antifúngicos sintéticos normalmente utilizados e em vista disso, o presente estudo avaliou a eficácia do Barbatimão, Mil Folhas e da Folha de Fumo, sobre C. albicans. Para os testes foram determinados três tipos de extratos: o alcoólico a 70% (v/v), o alcoólico cereal e o chá das plantas, além dos controles positivo (Fluconazol) e negativo (álcool 70%). Todos os testes foram realizados em triplicata. O extrato alcoólico cereal para todas as plantas, apresentou melhor resultado, destacando o Barbatimão que apresentou o maior halo de inibição. No teste de Concentração Inibitória Mínima foi observado o Barbatimão foi capaz de inibir o crescimento da C.albicans com apenas 0.5 mg/mL de extrato, enquanto os demais extratos só conseguiram inibir o crescimento desse fungo na concentração de 1mg/mL. Os dados obtidos indicam que tais plantas podem representar uma alternativa para o desenvolvimento de novos fármacos naturais contra candidíase.


Palavras-chave


Candida albicans, plantas, fármaco natural.

Texto completo:

PDF

Referências


Abílio V. M. F., Mesquita, B. S., Silva, E. D., Carvalho, F. V. Q., Macêdo, L. L. A., Castro, D. R. Atividade antifúngica de produtos naturais indicados por raizeiros para tratamento de candidíase oral. Rev Cubana Estomatol. [Internet]. 2014; 51 (3), 259-269. ISSN 0034-7507. Recuperado em 03 de abril de 2018.

Alves, M. B. et al. Prevalência de Candida spp. em amostras de secreção vaginal e sua relação com fatores associados à vulvovaginite. Revista de Investigação Biomédica, v. 7, n. 1, p. 58-68, 2015.

Candan F. et al, Antioxidant and antimicrobial activity of the essential oil and methanol extracts of Achillea millefolium subsp. millefolium Afan. (Asteraceae). Journal of Ethnopharmacol. 87: 215-220. 2003.

Cardoso T. S. Papel do ATP na infecção de macrófago por Candida albicans. Lisboa. 2013. Mestrado (Dissertação). [Programa de Pós-graduação em Bioquímica] – Universidade de Coimbra.

Castro R. D., Lima, E. O. Atividade antifúngica in vitro do óleo essencial de Eucalyptus globulus L.sobre Candida albicans spp. Revista de Odontologia da UNESP. 2010; 2010; 39(3): 179-184.

Ceschini, V. C. Potencial antifúngico de extratos de folhas de Eucalyptus staigiriana F. muell. Sobre Aspergillus Flavus. Piracicaba; 2011. Mestrado (Dissertação) [Pós-graduação em Engenharia de Alimentos, Ciência e Tecnologia de Alimentos] – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Universidade de São Paulo.

De Farias, J. C. et al. Plantas inseticidas e repelentes utilizadas em uma comunidade rural no Nordeste brasileiro. Revista ESPACIOS. Vol. 37 (Nº 22) Ano 2016.

De Morais, G. F. et al. Agrobiodiversidade manejada em quintais agroflorestais urbanos: cultivo de plantas medicinais. In: Embrapa Meio Ambiente-Artigo em anais de congresso (ALICE). Cadernos de Agroecologia, v. 13, n. 2, dez. 2018.

Di Salvo, A. S. Antifungal properties of a plant extract. I. Source and spectrum of antimicrobial activity. Mycopathol. Mycol. v.54, n.2, p. 215-219, 1974.

Gonçalez, E., Felicio, J. D., Pinto, M. M., Rossi, M. H., Medina, C., Fernandes, M. J. B., Simoni, I. C. Inhibition of aflatoxin production by Polymnia sonchifolia and its in vitrocytotoxicity. Arquivos do Instituto Biológico. 2003; 70(2),159-163.

Hasenclever, L. et al. A indústria de fitoterápicos brasileira: desafios e oportunidades. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, p. 2559-2569, 2017.

Joseph, G. S., Jayprakash, G. K., Selvi, A. T., Jena, B. S., Sakariah, K. K. Antiaflatoxigenic and antioxidant activities of Garcinia extracts International. Journal of Food Microbiology 2005 may 25; p.153-160, v. 101, Issue 2.

Mahmoud, A. L. E. Inhibition of growth and aflatoxin biosynthesis of Aspergillus flavus by extracts of some Egyptian plants. Letters in Applied Microbiology. 1999. Amsterdam: Elsevier, n.29, p.334-336.

Mariath, I. R., Lima, I. O. L., Lima, E. O., Batista, L. M. Atividadeantifúngica do óleo essencial de Eugenia aromatica B.contra fungos dematiáceos. Rev Brasileira de Farmácia. 2006; 87(3), 4-81.

Moraes, S. C. S. Achillea millefolium L - ASTERACEAE prospecção fitoquímica, perfil espectrométrico e atividade antifúngica. Governador Valadares. 2008. Mestrador (Dissertação) [Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde] – Univale.

Oliveira, F. A. M. Infecções oportunistas causadas por leveduras do gênero Candida sp. em pacientes imunocomprometidos. Belo Horizonte. 2012. Especialização (Monografia) [Programa de Pós-Graduação em Microbiologia] – Universidade Federal de Minas gerais.

Odebiyi, O. O. Antimicrobial and antifungal properties of the extractives of Jatropha padagrica. Fitoterapia. 1985; 56(5), 297-299.

Pereira, A. P. B. et al. Avaliação do Efeito Inibitório de Anadenanthera falcata (Angico) sobre Candida albicans através da capacidade inibitória mínima e danos morfológicos/mitocôndria. CIPEEX, p. 2636-2639, 2018.

Raimundo J. S., De Toledo C. L. M. Plantas com atividade antifúngica no tratamento de Candidíase: uma revisão bibliográfica. Revista Uningá Review, v. 29, n. 2, 2018.

Ramalho, M. P. et al. Plantas medicinais no processo de cicatrização de feridas: revisão de literatura. Revista Expressão Católica Saúde, v. 3, n. 2, p. 64-70, 2018.

Rodrigues DV, Lima RA. Estudo fitoquímicos e o efeito do extrato etanólicos das folhas de Solanum grandiflorum RUIZ sobre Candida albicans in vitro. Revista Saúde e Pesquisa. 2014; 7(2), 183-189. ISSN: 1983-1870.

Raugust T. M., Duarte, A. C. R. Aspectos clínicos, epidemiológico e diagnóstico citológico de Candida sp, Gardnerella Vaginalis e Trichomonas Vaginalis. Atas de Ciências da Saúde. 2013; 1(1), 1-13. ISSN: 2448-3753.

Saraiva, A. M. et al. Estudo etnobotânico e da atividade antimicrobiana de plantas utilizadas na medicina popular em Cajazeiras–PB. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management, v. 14, n. 2, 2018.

Satish, S., Mohana, D. C., Ranhavendra, M. P., Raveesha, K. A. Antifungal activity of some plant extracts against important seed borne pathogens of Aspergillus sp. Journal of Agricultural Technology. 2007; 3(1), 109-119.

Shukla, R., Kumar, A., Prasad, C. S., Srivastava, B., Dubey, N. K. Antimycotic and antiflaxigenic potency og Adenocaloym maalliaceum Miers. on fungi causing biodeterioration of food commodities and raw herbal drugs. International Biodeterioration & Biodegradation. 2008; 62(4), 348-351. ISSN: 0964-8305.

Tessarollo, N. G., Carrijo, L. C., Barbosa, M. O., Almeida, H. O., Pereira, T. H. A., Magalhães, M. J., Leite, J. P. V., Pereira, P. R. G., Baracat-Pereira, M. C. Fitodefensivos em plantas medicinais macromoléculas hidrofílicas icas de folhas de mil folhas (Achillea Mill efoluen L.) inibem o crescimento in vitro de bactérias fitopatogênicas. Rev Brasileira de Plantas Medicinais. 2013; 15(2), 180-187. ISSN: 1516-0572.

Vásquez, S. P. F., Mendonça, M. S., Noda, S. N. Ethnobotany of medicinal plants in riverine communities of the Municipality of Manacapuru, Amazonas, Brasil. Acta Amazônica. 2014; 44(4), 457-472. INSS: 0044-5967.

Xavier, M. A. Estudos com extrato de Syzygium cumini (L.) Skeel: Perfil fitoquímico e atividade antimicrobiana sobre Candida albicans. Campina Grande. 2015. Graduação (Monografia) [Trabalho de Conclusão de Curso em Odontologia] - Universidade Estadual da Paraíba. [link]


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Ciência ET Praxis

Qualis 2017-2018: Ciência et Praxis (online) - B3