Processo de avaliação dos artigos

Avaliação preliminar (desk review)

Os artigos submetidos à Educação em Foco passam por uma avaliação preliminar (desk review), pela Equipe Editorial, de modo a verificar se os manuscritos atendem aos seguintes requisitos:

  • Adequação à linha editorial, ao escopo da Revista e à Seção indicada.
  • Observação das normas para título, resumo e palavras-chave.
  • Rigor na escrita por meio de correção sintática, gramatical e ortográfica.
  • Adequação do texto ao respectivo Template.
  • Observância do prazo de dois anos de interstício para publicação de artigos de mesma autoria (autor ou coautor).
  • Cumprimento da exigência de titulação mínima de doutor para um dos autores da submissão.

Em caso de desacordo com esses requisitos, o artigo é recusado e o autor é comunicado por meio do Sistema, podendo fazer as devidas correções e reenviar o manuscrito.

Por prezar pelos critérios de ética em pesquisa, na última fase da avaliação preliminar, todos os textos são inspecionados por meio do software de comparação de texto iThenticate do Turnitin; programa antiplágio DOCxWEB.

A caracterização de plágio, resulta na rejeição da submissão e comunicação, imediata, ao autor que não poderá reapresentar a submissão.

Revisão por pares (Double blind peer review)

Se aceito na avaliação preliminar, o artigo é avaliado em sistema "duplo cego" (double blind peer review) pelos pareceristas ad hoc (de instituições e região diferentes das dos autores)indicados pela Editoria-Chefe, que se orientarão por um formulário de avaliação.

O prazo de devolução dos pareceres é de, no máximo, duas semanas, após a confirmação do aceite de realização da avaliação pelo ad hoc.

Caso não confirme sua disponibilidade para avaliar, no período de uma semana, a colaboração é dispensada e o artigo é encaminhado para outro parecerista ad hoc.

Na avaliação "duplo cego", as identidades dos avaliadores e dos autores são ocultadas de ambas as partes. Assim, é imprescindível que o manuscrito não tenha identificação de autoria, inclusive no corpo do texto, rodapé, referências ou nas propriedades do arquivo. Nas citações e referências de obras dos próprios autores, deve se usar (AUTOR1, ano) apenas, sem apresentar título ou outras informações sobre a publicação, para preservar o anonimato.

Os avaliadores levarão em consideração os seguintes critérios:

  • Adequação do título, resumo e palavras – chave ao conteúdo;
  • Clareza do tema e definição dos objetivos;
  • Qualidade da abordagem e da bibliografia adotada;
  • Articulação coerente das ideias;
  • Fundamentação da argumentação em dados empíricos ou bibliográficos;
  • Qualidade da conclusão e contribuições ao campo da educação.

Os resultados das avaliações podem ser: aceitar, aceitar com modificações e rejeitar.

a) Aceitar: o parecerista ad hoc poderá, a seu critério, fazer ou não comentários sobre o texto.

b) Aceitar com modificações: os pareceristas ad hoc devem apontar as alterações recomendadas, com anotações em campo próprio do formulário de avaliação ou no corpo do artigo.

c) Rejeitar: os avaliadores devem apontar os motivos que levaram à reprovação do artigo, podendo apresentar sugestões para a sua melhoria, visando futuras submissões.

No caso de discrepância avaliativa de um mesmo artigo, ele é encaminhado a um terceiro avaliador, a fim de que se emita parecer conclusivo sobre o referido trabalho.

Quando aceito com modificações, o autor deve identificar no texto, as alterações, e justificar o que não for atendido. Ressalta-se que as alterações realizadas no texto não garantem sua aprovação automática. Nesse caso, o texto não retornará aos avaliadores, ficando a cargo da Equipe Editorial, após análise detalhada das modificações realizadas à luz dos pareceres, a decisão pela aceitação ou rejeição do artigo submetido.

Os artigos rejeitados, contendo observações dos avaliadores, são encaminhados aos autores, acompanhados dos respectivos pareceres, sem a identificação dos pareceristas.

Os Editores se reservam o direito de recusar artigos entregues fora do prazo determinado e aqueles cujos autores discordarem da avaliação e tiverem os pareceres mantidos pela editoria.

Após a aprovação, o artigo passa à fase de produção, compreendida pelas etapas de revisão (normas e idioma) e diagramação.

A revisão de normas e de Língua Portuguesa, bem como a tradução dos resumos é de total responsabilidade dos autores. O Abstract e o Resumen devem ser revisados por especialista na Língua e comprovado por meio de declaração assinada pelo revisor e submetida como documento suplementar, após o aceite da publicação, no processo de envio da versão final.

A revista conta com uma Equipe de revisores que fazem uma avaliação final do manuscrito. Assim, os artigos aprovados poderão sofrer pequenas revisões editoriais para facilitar sua clareza e entendimento, sem alterar, contudo, o seu conteúdo. Caso o texto exija muitas alterações, a Equipe recomendará a devolução do artigo aos autores para as devidas adequações.

A publicação do manuscrito, está sujeita ao número de artigos em processos de avaliação e aos critérios de diversidade regional e institucional.

Neste periódico, a média de tempo de avaliação dos trabalhos tem sido de doze meses. Da aprovação à publicação a média tem sido de até sete meses.

Após a publicação, é fundamental a colaboração dos autores na divulgação do artigo, e da revista, entre seus pares, na comunidade e nas redes sociais.

A revista reserva-se o direito de não avaliar artigos:

  • Submetidos, concomitantemente, a outros periódicos;
  • De mesma autoria, num decurso de prazo inferior a um período de dois anos da última publicação;
  • De mesma autoria (autor ou coautor), submetidos de forma simultânea;
  • De autores da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) em um percentual superior a 20% dos artigos publicados anualmente.

Conflitos de Interesse

Para assegurar a postura ética e a credibilidade da revista, a Educação em Foco exige que autores, avaliadores, revisores ou editores informem sobre potenciais de conflito de interesses, sejam eles de natureza pessoal, comercial, política, acadêmica ou financeira.

Aos autores exige-se que informe à Editoria da revista e o reconhecimento, no próprio artigo, do potencial conflito de interesses, demonstrando os procedimentos adotados para minimizar possíveis vieses em sua pesquisa.

Quanto aos avaliadores, todos devem reportar aos editores quaisquer conflitos de interesse que poderiam influir em sua tarefa de avaliação do manuscrito, e, se for o caso, declarar-se não qualificado para revisá-lo.

Os editores não devem tomar quaisquer decisões editoriais ou acompanhar o processo editorial de manuscritos submetido à revista, em caso de Conflito de Interesse de qualquer natureza. Numa situação como essa, caberá ao editor que não possuir tal conflito se responsabilizar, integralmente, pelos trâmites editoriais e publicação.

 

Confidencialidade

A Equipe Editorial deve manter confidenciais todas as informações sobre o manuscrito submetido, compartilhando-as somente com os envolvidos na avaliação e na publicação.