Prevenir condutas disruptivas no 1.º Ciclo EB: Plano de Animação no recreio de uma escola portuguesa

Autores

  • Ernesto Candeias Martins Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior de Educação

Resumo

Abordamos a intervenção socioeducativa numa escola portuguesa (Agrupamento de Escolas -XJR), na cidade de Castelo Branco, com a aplicação de um Plano Estratégico de Animação no recreio para atenuar atos agressivos e indisciplinares dos alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico (3.º e 4.º ano). Este estudo de caso teve como objetivos: analisar os aspetos psicoeducativos e sociológicos das condutas disruptivas; prevenir o incumprimento da disciplina escolar; aplicar um plano estratégico de animação no recreio para desenvolver pessoal e socialmente os valores da convivência e da cidadania; estabelecer estratégias de mediação para os professores resolverem os conflitos. As técnicas de recolha de dados foram questionários (Pré e Pós-avaliação do Plano) aos alunos (n=62), professores (n=5) e assistentes operacionais (n=4), valorizando-se a eficácia do plano, observações, notas de campo e triangulação. Concluímos que há alunos que foram vítimas de agressão, pelo menos uma vez no ano escolar, mas esses atos diminuem com a escolaridade. O tipo das agressões comuns é o empurrar, bater, magoar, chamar nomes, gozar ou caluniar, sendo mais frequentes no recreio, corredores e escadas. O plano fez diminuir as agressividades e indisciplinas nos alunos, envolveu-os em atividades lúdicas e jogos e promoveu-lhes habilidades sociais de convivência e autocontrolo das emoções.

Biografia do Autor

Ernesto Candeias Martins, Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior de Educação

Doutor em Ciencias da Educação (àrea de H.ª da Educação Social/Teoria e H.ª da Educação), docente do ensino superior politécnico desde 1987, pertence ao Dept.º/UTC-CSH, coordenador de vários cursos (licenciatura e mestrado), avaliador externo e investigador do CeiED da Universidade Lusófocna de Lisboa.

Downloads

Publicado

20/04/2020