Memória e comunidade quilombola: uma via de sentido entre o passado e o presente

Autores

  • Luiz Henrique Bergamaschi

Resumo

O presente artigo é fruto de uma série de experiências relacionadas ao Projeto de extensão interface com a pesquisa da Universidade do Estado de Minas Gerais “A construção do Perfil da Comunidade Quilombola dos Candendês”. Expressaremos neste escrito algumas características, motivações e experiências vividas através do contato com essa comunidade e com o contexto de sua localização. As relações entre memória, identidade, sentido e cultura na vida social de um povo, tem se mostrado como um conjunto estrutural importante para a sua emancipação. A relação responsável entre o que é particular e o que é público, pode ordenar via memória, um viés coeso para se compreender dado fenômeno ou realidade e também para fortalecer o seu perfil enquanto grupo específico.

Biografia do Autor

Luiz Henrique Bergamaschi

Especialista em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); graduado em Geografia pela Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC); graduando em Ciências Sociais pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Professor de Geografia da rede estadual de ensino.

Downloads

Publicado

20/04/2020