Impactos do bullying na saúde mental do adolescente

Autores

  • Flávio Henrique Marçal Vieira Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG - Unidade Acadêmica Passos.
  • Heloisa Pimenta Alexandre
  • Vanessa Aparecida Campos
  • Maísa Tavares de Sousa Leite UEMG|Passos

Palavras-chave:

Saúde mental e bullying, Enfermagem, Prevalência do bullying escolar

Resumo

O bullying é descrito como uma subcategoria de violência, identificado por comportamentos agressivos intencionais e repetitivos, embasado em relações com desequilíbrio de poder, e que se tornou nos últimos anos em um grave problema de saúde pública que afeta crianças e adolescentes em fase escolar, propiciando consequências sérias à saúde. O objetivo deste artigo foi identificar e analisar os danos de imediato e a longo prazo acarretado pelo bullying na saúde mental dos adolescentes no âmbito escolar. Trata-se de uma Revisão Integrativa, realizada de abril a junho de 2019. Teve-se como questão norteadora: Quais são os danos de imediato e a longo prazo que o bullying pode acarretar na saúde mental dos adolescentes no âmbito escolar? Na seleção da amostragem foram incluídos os artigos originais e na íntegra disponíveis, publicados no idioma português, estudos dos últimos cinco anos e que retratam a temática em questão. Os resultados demonstraram que as doenças mais frequentes são depressão, baixa autoestima e ideação e tentativas de suicídio. Observou-se a falta de capacitação da comunidade escolar em lidar com as situações de violência, ausência do amparo de vítimas, agressores e ao docente. Verifica-se a iminência de políticas públicas mais efetivas que garantam à diminuição desse subtipo de violência nas escolas.

Biografia do Autor

Flávio Henrique Marçal Vieira, Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG - Unidade Acadêmica Passos.

Graduado em Ciências Biológicas - Licenciatura, pela UEMG (Universidade do Estado de Minas Gerais) - Unidade de Passos. Atualmente cursando Enfermagem - Bacharelado, pela UEMG (Universidade do Estado de Minas Gerais) - Unidade de Passos.

Referências

AGATSTON, P.; KOWALSKI, R.; LIMBER, S. Students’ perspectives on cyber bullying. Journal of Adolescent Health, v. 41, n. 6, Suppl 1, p. S59-60, December 2007.

ANTUNES, D. C et al. Do bullying ao preconceito: os desafios da barbárie à educação. Psicologia & Sociedade, v. 20, n. 1, p. 33-42, 2008.

ARAÚJO, L. S.; COUTINHO, M. P. L.; MIRANDA, R. S.; SARAIVA E. R. A. Universo consensual de adolescentes acerca da violência escolar. Psico-USF, 2012; 17(2): 243-251

BANDEIRA, C.; HUTZ, C. S. Bullying: prevalência, implicações e diferenças entre os gêneros. Revista Psicologia Escolar e Educacional, Junho 2016; 16(1): 35- 44.

CARVALHOSA, S.; LIMA, L.; MATOS, M. G. Bullying – a provocação/vitimação entre pares no contexto escolar português. Análise Psicológica, v. 4, n. 19, p. 523-37, 2001.

CHIBBARO, J. School counselors and the cyberbully: interventions and implications. Professional School Counseling, v. 1, n. 11, p. 65-68, 2007.

CODO, W. Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes, 2006.

DESLANDES, S. F. Atenção a crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica: análise de um serviço. Cadernos de Saúde Pública, 1994; 10(Supl. 1): S177-87.

ELGAR, F. J.; MCKINNON, B.; WALSH, S. D.; FREEMAN, J.; D DONNELLY, P.; MATOS, M. G.; GARIEPY, G.; ALEMAN-DIAZ , A. Y.; PICKETT, W.; MOLCHO, M.; CURRIE, C. Structural Determinants of Youth Bullying and Fighting in 79 Countries. Journal of Adolescent Health, 2015; 57(6): 643-650.

ESPELAGE, D et al. The impact of a middle school program to reduce aggression, victimization, and sexual violence. Journal of Adolescent Health, v. 53, n. 2, p. 180-186, 2013.

HENRY, K et al. The potential role of meaning in life in the relationship between bullying victimization and suicidal ideation. Journal of Youth and Adolescence, May 2013.

HOLT, M. K.; FINKELHOR, D.; KANTOR, G. K. Multiple victimization experiences of urban elementary school students: associations with psychosocial functioning and academic performance. Child Abuse & Neglect, v. 31, n. 5, p. 503-515, 2007.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa nacional de saúde Escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) 2015. Rio de Janeiro: IBGE, 2015.

Instituto brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa nacional de saúde escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

ISOLAN, L.; SALUM, G. A.; OSOWSKI, A. T.; ZOTTIS, G. H.; MANFRO, G. G. Victims and bully-victims but not bullies are groups associated with anxiety symptomatologyamong Brazilian children and adolescents. European Child & Adolescent Psychiatry 2013; 22(10):641-648.

KUKASWADIA, A.; CRAIG, W.; JANSSEN, I.; PICKETT, W. Bullying as a mediator of relationships between adiposity status and weapon carrying. International Journal of Public Health, June-July 2012; 57(3):505-12.

LEREVA, S. T.; COPELAND, W. E.; COSTELLO, E. J.; WOLKE, D. Adult mental health consequences of peer bullying and maltreatment in childhood: two cohorts in two countries. Lancet Psychiatry 2015; 2(6): 524-31.

LEVASSEUR, M.; KELVIN, E.; GROSSKOPF, N. Intersecting identities and the association between bullying and suicide attempt among new york city youths: results from the 2009 new york city youth risk behavior survey. American Journal of Public Health, v. 103, n. 6, p. 1082-1089, 2013.

LISBOA, C.; EBERT, G. Violência na escolar: reflexão sobre as causas e propostas de ações preventivas e focais. In: HABIGZANG, L. F.; KOLLER. S. H. Violência contra crianças e adolescentes: Teoria, pesquisa e prática. Porto Alegre: Artmed, 2012, p. 190-202.

LOPES NETO, A. Bullying: comportamento agressivo entre estudantes. Jornal de Pediatria, v. 81, n. 5, p. 164-172, 2005.

LOPES NETO, A.; SAAVEDRA, L. H. Diga não ao bullying: Programa de Redução do Comportamento Agressivo entre Estudantes. Rio de Janeiro: ABRAPIA, 2003.

MALTA, D. C.; SILVA, M. A. I.; MELLO, F. C. M.; MONTEIRO, R. A.; SARDINHA, L. M. V.; CRESPO, C. Bullying nas escolas brasileiras: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), 2009. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 2010.

MATOS, M et al. Violência, bullying e delinquência, gestão de problemas de saúde em meio escolar. Lisboa: Coisas de Ler, 2009.

MCGRATH, M. School bullying: tools for avoiding harm and liability. Thousand Oaks: Corwin Press, 2007.

MELLO, F. C. M.; MALTA, D. C.; PRADO, R. R.; FARIAS, M. S.; ALENCASTRO, L. C. S.; SILVA, M. A. I. Bullying e fatores associados em adolescentes da Região Sudeste segundo a Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar. Revista Brasileira de Epidemiologia Outubro-Dezembro 2016; 19(4): 866-877.

MELLO, F. C. M.; MALTA, D. C.; SANTOS, M. G.; SILVA, M. M. A.; SILVA, M. A. I. Evolução do relato de sofrer bullying entre escolares brasileiros: Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar – 2009 a 2015. Revista Brasileira de Epidemiologia, 2018; 21(SUPPL 1): E180015.supl.1.

MELLO, F. C. M.; SILVA, J. L.; OLIVEIRA, W. A.; PRADO, R. R.; MALTA, D. C.; SILVA, M. A. I. A prática de bullying entre escolares brasileiros e fatores associados, Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2015. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 22(9): 2939-2948 2017.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem 2008; 17(4):758-764.

NOBRE, C. S.; VIEIRA, L. J. E. S.; NORONHA, C. V.; FROTA, M. A. Fatores associados à violência interpessoal entre crianças de escolas públicas de Fortaleza, Ceará, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 23(12): 4299-4309, 2018.

OBRDALJ, E. C et al. Trauma symptoms in pupils involved in school bullying: a cross sectional study conducted in Mostar, Bosnia and Herzegovina. Collegium Antropologicum, v. 37, n. 1, p. 11-16, March 2013.

OLIVEIRA, W. A.; SILVA, J. L.; SANTOS, M. A.; HAYASHIDA, M.; CARAVITA, S. C. S.; SILVA, M. A. I. Interações familiares de estudantes em situações de bullying. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 67(3):151-8, 2018.

OLWEUS, D. School bullying: Development and some important challenges. Annual Review of Clinical Psychology, 2013; 9(1):751-80.

Organização Mundial da Saúde. Prevenindo a violência juvenil: um panorama das evidências. Genebra: OMS; 2015.

Organization Word Health (WHO). Global school-based student health survey (GSHS). Geneva: WHO, 2009.

PAN, S.; SPITTAL, P. Health effects of perceived racial and religious bullying among urban adolescents in China: a cross-sectional national study. Glob Public Health, May 2013.

PATRICK, D et al. Bullying and quality of life in youths perceived as gay, lesbian, or bisexual in Washington state, 2010. American Journal of Public Health, v. 103, n. 7, p. 1255-1261, July 2013.

PIEDRA, R.; LAGO, S.; MASSA, P. Crianças contra crianças: o bullying, uma perturbação emergente. Anales de Pediatría, v. 64, n. 2, p. 162-166, 2006.

PIGOZI, P. L. A produção subjetiva do cuidado: uma cartografia de bullying escolar. Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 28(3), e280312, 2018.

PIGOZI, P. L.; MACHADO, A. L. Bullying na adolescência: visão panorâmica no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 20(11):3509-3522, 2015.

PINGOELO, I.; HORIGUELA, M. L. M. Bullying na sala de aula. De Jure, Julho-Dezembro 2010; 15(2): 145-56.

PINTO, I. V.; BARUFALDI, L. A.; CAMPOS, M. O.; MALTA, D. C.; SOUTO, R. M. C. V.; FREITAS, M. G.; LIMA, C. M.; ANDREAZZI, M. A. R. Tendências de situações de violência vivenciadas por adolescentes brasileiros: Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2009, 2012 e 2015. Revista Brasileira de Epidemiologia, 2018; 21( SUPPL 1): E180014.supl.1.

POOP, A. M. The effects of exposure, proximity, and capable guardians on the risk of bullying victimization. Youth Violence Juveline Justice. October-December 2012; 10(4): 315-32.

PUHL, R.; KING, K. Weight discrimination and bullying. Best Practice and Research Clinical Endocrinology & Metabolism, v. 27, n. 2, p. 117-127, April 2013.

RAIMUNDO, R.; SEIXAS, S. Comportamentos de bullying no 1º ciclo: estudo de caso numa escola de Lisboa. Interacções, n. 13, p. 164-86, 2009.

RECH, R. R.; HALPERN, R.; TEDESCO, A.; SANTOS, D. F. Prevalência e características de vítimas e agressores de bullying. Jornal de Pediatria (Rio J), 2013; 89(2):164-170.

REIS, A. A. C.; MALTA, D. C.; FURTADO, L. A. C. Desafios para as políticas públicas voltadas à adolescência e juventude a partir da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE). Ciência & Saúde Coletiva, 23(9):2879-2890, 2018.

REZENDE, M.; BAPTISTA, T. W. F. A Análise da Política Proposta Por Ball. Caminhos para Análise de Políticas de Saúde. Porto Alegre: Rede Unida; 2015. p. 273-283.

RUNYON, M et al. Etiology and surveillance in child maltreatment. In: LUTZKER, John R. (Ed.). Preventing violence: research and evidence-based intervention strategies. Washington: APA, 2006. p. 23-48.

SALAS-WRIHHT, C. P.; NELSON, E. J.; VAUGHN, M. G.; REINGLE, G. J. M.; CÓRDOVA, D. Trends in Fighting and Violence Among Adolescents in the United States, 2002–2014. American Journal of Public Health. 2017; 107(6): 977-82.

SALGADO, F. S.; SENRA, L. X.; LOURENÇO, L. M. Effectiveness indicators of bullying intervention programs: A systematic review of the international literature. Estudos de Psicologia (Campinas), 2014; 31(2): 179-190.

SAMPAIO, J. M. C.; SANTOS, G. V.; OLIVEIRA W. A.; SILVA, J. L.; MEDEIROS, M.; SILVA, M. A. I. Prevalência de bullying e emoções de estudantes envolvidos. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, Abril-Junho 2015; 24(2): 344-52.

SANTOS, M. A. N. O impacto do bullying na escola. Porto Alegre: UFRGS, 2010. Trabalho de conclusão de graduação.

SCHRECK, C. J.; MILLER, J.; MITCHELL; GIBSON, C. L. Trouble in the school yard: a study of the risk factors of victimization at school. Crime & Delinquency, v. 49, n. 3, p. 460-484, 2003.

SILVA, J. L.; MELLO, F. C. M.; OLIVEIRA, W. A.; PRADO, R. R.; SILVA, M. A. I.; MALTA, D. C. Vitimização por Bullying em Estudantes Brasileiros: Resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PENSE). Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, 2018; 27(3): e0310017.

SILVA, J. L.; OLIVEIRA, W. A.; BAZON M. R.; CECILIO, S. Bullying na sala de aula: percepção e intervenção de professores. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Janeiro-Abril 2013; 65(1): 121-37.

SILVA, M. A. I.; SILVA, J. L.; PEREIRA, B. O.; OLIVEIRA, W. A.; MEDEIROS, M. The view of teachers on bullying and implications for nursing. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 2014; 48(4): 723-730.

SLEIMAN, C. M. Programa de prevenção ao bullying e cyberbullying. Livro eletrônico: Guia do professor. São Paulo, 2016; Edição do Autor.

SMITH, P.; ANANIADOU, K.; COWIE, H. Interventions to reduce school bullying. Canadian Journal of Psychiatry, v. 48, n. 9, p. 591-599, 2003.

SMITH, P et al. Cyberbullying: its nature and impact in secondary school pupils. Journal of Child Psychology and Psychiatry, v. 49, n. 4, p. 376-385, April 2008.

SMITH, P.; MADSEN, K. Action against bullying. International: Meetings of the International Society on the Study of Behavioural Development, 14., 1996, Quebeque. XIV meetings... Quebec: [s. n.], 1996.

SOUZA, E. R.; MELLO, J. M. H. P. Impacto da violência na infância e adolescência brasileiras: magnitude da morbimortalidade. In: Brasil. Ministério da Saúde. Violência faz mal à saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. p. 23-28.

TORTORELLI, M. F. P.; CARREIRO, L. R. R.; ARAÚJO, M. V. Correlações entre a percepção da violência familiar e o relato de violência na escola entre alunos da cidade de São Paulo. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 2010; 12(1): 32-42.

TSANG, S.; HUI, E.; LAW, B. Bystander position taking in school bullying: the role of positive identity, self-efficacy, and self-determination. Scientific World Journal, v. 11, p. 2278-2286, 2011.

WENDT, G. W.; LISBOA, C. S. M. Agressão entre pares no espaço virtual: definições, impactos e desafios do cyberbullying. Psicologia Clínica, 2013; 25(1): 73-87.

WHITTEMORE, R.; KNAFL, K. The integrative review: updated methodology. Journal of Advanced Nursing, 2005; 52(5):546-553.

WOLAK, J.; MITCHELL, K.; FINKELHOR, D. Does online harassment constitute bullying? An exploration of online harassment by known peers and online-only contacts. Journal of Adolescent Health, v. 41, n. 6 Suppl 1, p. S51-58, December 2007.

WONG, D et al. School bullying among Hong Kong Chinese primary school children. Youth and Society, v. 40, n. 1, p. 35-54, 2008.

World Health Organization (WHO), World Organization of Family Doctors. Integrating mental health into primary care: a global perspective. Genebra and London, 2008.

WU, W. C.; LUU, S.; LUH, D. L. Defending behaviors, bullying roles, and their associations with mental health in junior high school students: a population-based study. BMC Public Health 2016; 16(1):1066.

ZAINE, I.; REIS, M. J. D.; PADOVANI, R. C. Comportamentos de bullying e conflito com a lei. Estudos de Psicologia, 2010; 27(3): 375-382.

ZEQUINÃO, M. A.; MEDEIROS, P.; PEREIRA, B.; CARDOSO, F. L. Bullying escolar: um fenômeno multifacetado. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 1, p. 181-198, Janeiro-Março 2016.

Downloads

Publicado

21/08/2020

Como Citar

Vieira, F. H. M., Alexandre, H. P., Campos, V. A., & Leite, M. T. de S. (2020). Impactos do bullying na saúde mental do adolescente. Ciência ET Praxis, 13(25), 91–104. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/praxys/article/view/4354

Edição

Seção

Artigos