Avaliação de marcadores psicométricos em formandos enfermeiros com uso de metodologias ativas

Autores

  • Claudiane Mahl Universidade Federal de Sergipe - UFS http://orcid.org/0000-0003-2021-026X
  • Fernanda Gomes de Magalhães Soares Universidade Federal de Sergipe
  • Carla Kalline Alves Cartaxo Freitas Universidade Federal de Sergipe
  • Ana Paula Cruz de Lisboa Universidade Federal de Sergipe
  • Maíra Barreto dos Reis Universidade Federal de Sergipe

Palavras-chave:

Educação em Enfermagem, Ansiedade, Depressão

Resumo

Introdução: O processo de formação universitária exige do jovem a superação de desafios inéditos que podem levar a descompensações emocionais, dessa forma é necessário estar atento às mudanças de humor desses jovens. Objetivo: Avaliar os marcadores psicométricos dos acadêmicos do último ciclo do curso de enfermagem de uma universidade pública de Sergipe. Método: Estudo transversal, onde foram coletadas informações socioeconômicas, sobre a ansiedade, a depressão, a resiliência, o suporte social e a espiritualidade dos acadêmicos do quinto ciclo do curso de enfermagem, por meio de instrumentos validados e autoaplicáveis. Resultado: Quanto aos marcadores psicométricos 14% apresentavam ansiedade elevada e 8% Depressão leve, 20% possuíam resiliência mínima e a grande maioria possuía Suporte Social (91%) e Espiritualidade (100%) moderada. Conclusão: Observou-se que existe relação significativa entre os níveis de ansiedade e depressão dos acadêmicos. Por isso é importante a criação de programas com ações preventivas e terapêuticas para que o estudante possa encontrar saídas saudáveis para suas angústias.

Biografia do Autor

Claudiane Mahl, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Professora Assistente do Departamento de Enfermagem (UFS/DENL). Doutoranda em Ciências da Saúde (PPGCS/UFS)

Fernanda Gomes de Magalhães Soares, Universidade Federal de Sergipe

Professora Assistente do Departamento de Enfermagem. Mestre em Saúde e Ambiente  (UNIT)

Carla Kalline Alves Cartaxo Freitas, Universidade Federal de Sergipe

Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem de Lagarto. Doutora em Ciências da Saúde (UFS).

Ana Paula Cruz de Lisboa, Universidade Federal de Sergipe

Acadêmica de Enfermagem pela Universidade Federal de Sergipe, Lagarto, Brasil.

Maíra Barreto dos Reis, Universidade Federal de Sergipe

Acadêmica de Enfermagem pela Universidade Federal de Sergipe, Lagarto, Brasil.

Referências

Almeida LS, Soares AP. Os estudantes universitários: sucesso escolar e desenvolvimento psicossocial. Em E. Mercuri& S. A. J. Polydoro (Orgs.). Estudante universitário: características e experiências de formação. Taubaté: Cabral. 2003.

Sant’ ana RS, Docarmo AO, Ortiz FG. A universidade pública e os desafios postos a formação em serviço social no Brasil. Serv. Soc. & Saúde, Campinas, SP, jan./jun. 2016.

Bardagi MP. Evasão e comportamento vocacional de universitários: estudo sobre o desenvolvimento de carreira na graduação. (Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre) 2007.

Tomasso CS, Beltrame IL, Lucchetti G. Conhecimentos e atitudes de docentes e alunos em enfermagem na interface espiritualidade, religiosidade e saúde. Rev. Latino-Am. Enfermagem vol.19 no.5 Ribeirão Preto Sept./Oct. 2011.

Gussi MA, Dytz JLG.Religião e espiritualidade no ensino e assistência de enfermagem.Rev. bras. enferm. 2008, vol.61, n.3, pp.337-384.

Noronha APP, Freitas FA, Ottati F. Análise de instrumentos de avaliação de interesses profissionais. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 19, 2003.

Maluf TPG. Avaliação de sintomas de depressão e ansiedade em uma amostra de familiares de usuários de drogas que frequentaram grupos de orientação familiar em um serviço assistencial para dependentes químicos. UFSP. São Paulo. 2002.

Beck A, Ward C, Mendelson M, Mack K, Erbauch, G. An Inventory for Measuring Depression. Arquives of General Psychiatry, 1961. 53-63.

Gorestein C, Andrade L, Gomes-oliveira MH, NetoFL, Wang Y. Validation of the Brazilian Portuguese version of the Beck Depression Inventory-II in a community sample. Rev. Bras. Psiquiatr., 34, 2012. 389-394.

Wagnild GM, Young H. Development and psychometric evaluation of the Resilience Scale. JournalofNursingMeasuremen, 2(1), 1993. 165-178.

Pesce RP, Assis S, Avanci JQ, Santos NC, Malaquias JV, Carvalhaes R. Adaptação transcultural, confiabilidade e validade da escala de resiliência. Caderno Saúde Pública, 21(2), 2005. 436-448.

Paloutzian RF. Loneliness, spiritual well-being and the quality of life. Em L. A. (Orgs.), Loneliness, a sourcebook of current theory, research and therapy. 1982. (pp. 224-237). Nova York: Wiley.

Marques L, Sarriera J, Dell aglio D. Adaptação e Validação da Escala de Bem-estar Espiritual (EBE). Avaliação Psicológica, 8, 179-186. 2009.

Rodriguez, M.S. & Cohen, S. Social support. In: H. S. Friedman, Encyclopedia of Mental Health. 1998. (pp.535-544). San Diego: Academic Press.

Resolução nº 510/2016 do Ministério da Saúde. Brasil, 2016.

Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério de Saúde. Brasil 2012.

Souza L. Prevalência de sintomas depressivos, ansiosos e estresse em acadêmicos de medicina [tese]. São Paulo: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; 2010. 233p.

Moreira DP, Furegato AR. Stress and depression among students of the last semester in two nursing courses. Rev Latino-Am Enfermagem. 2013; 21(n. esp.):155-62.

Mesquita-pires C. A Investigação-acção como suporte ao desenvolvimento profissional docente. Eduser - Revista de Educação, [S.l.], v. 2, n. 2, dec. 2016. ISSN 1645-4774.

Infante F. A resiliência como processo: uma revisão de literatura recente. 2005.

Barlach L, Limongi-frança AC, Malvezzi S. O conceito de resiliência aplicado ao trabalho nas organizações. Interam. j. psychol. v.42 n.1 Porto Alegre abr. 2008.

Miranda S, Lana M, Felippe W. Espiritualidade, Depressão e Qualidade de vida no Enfrentamento do Câncer: Estudo Exploratório. Psicologia, Ciência e Profissão, pp. 870-885. 2015.

OMS. Organização Mundial da Saúde. 2016.

Coelho AT, Lorenzini LM, Sudaey. Qualidade de Sono, Depressão e Ansiedade em Universitários dos Últimos Semestres de Cursos da Área da Saúde. neurobiologia. SP, 73 (1) jan./mar., 2010.

Fonseca AA, Coutinho MPL, Azevedo RLW. Representações sociais da depressão em jovens universitários com e sem sintomas para desenvolver a depressão. Psicol., Reflex. e Crit. 2008.

Zanini D, Verolla-moura A, Queiroz I. Apoio social: aspectos da validade de constructo em estudantes universitários. Psicologia em Estudo, 14(1), 2009. pp.195-202.

Pereira SM, Lourenço LM. O estudo bibliométrico do transtorno de ansiedade social em universitários. Arquivos Brasileiros de Psicologia; Rio de Janeiro, 2012. 64 (1): 47-63.

Larousse Cultural. Dicionário da Língua Portuguesa. São Paulo: Universo. 1992.

Volcan SMA; Sousa PLR; Mari JJ; Horta BL. Relação entre bem-estar espiritual e transtornos psiquiátricos menores: estudo transversal. Revista de Saúde Pública. 2003;37(4):440-5

Downloads

Publicado

21/08/2020

Como Citar

Mahl, C., Gomes de Magalhães Soares, F., Alves Cartaxo Freitas, C. K., Cruz de Lisboa, A. P., & Barreto dos Reis, M. (2020). Avaliação de marcadores psicométricos em formandos enfermeiros com uso de metodologias ativas. Ciência ET Praxis, 13(25), 29–40. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/praxys/article/view/4547

Edição

Seção

Artigos