O TRABALHO E A REVOLTA DA NATUREZA NO CAPITALISMO TARDIO

Autores

  • Karina Fernanda da Silva UFMG
  • José Geraldo Pedrosa CEFET

Palavras-chave:

Trabalho, Natureza, Revolta da Natureza, Capitalismo Tardio, Ontologia do Trabalho.

Resumo

O texto está inserido no debate sobre o trabalho no capitalismo tardio. Num sentido tanto “bachelardiano” quanto “adorniano”, a abordagem busca pensar o trabalho como um conceito-rede ou como uma constelação. Em ambos os casos, a meta é esquartejar o conceito de trabalho, dissecá-lo e identificar seus elementos constitutivos. É uma abordagem teórica.

Biografia do Autor

Karina Fernanda da Silva, UFMG

Karina Fernanda da Silva – Doutoranda em Administração pela UFMG, mestre em Educação Tecnológica pelo CEFET-MG, especialista em Administração Pública pela Escola de Governo da Fundação João Pinheiro. Graduada em Administração pelo UNI-BH e em Design de Ambientes pela Escola de Design - UEMG. Tutora do curso de pós graduação em Gestão Pública Municipal da UFSJ. Analista Ambiental da Feam. Atua nas áreas de Gestão Pública, Educação e Meio Ambiente. 

José Geraldo Pedrosa, CEFET

Graduação: Ciências Sociais (UEMG); Mestrado: Educação (FAE/UFMG); Doutorado: Educação: História, Política, Sociedade (PUC/SP); Pós-doutorado (IGC/UFMG). Professor-pesquisador no Programa de Pós-graduação em Educação Tecnológica do CEFET/MG.

Downloads

Publicado

28/09/2020

Como Citar

da Silva, K. F., & Pedrosa, J. G. (2020). O TRABALHO E A REVOLTA DA NATUREZA NO CAPITALISMO TARDIO. Perspectivas Em Políticas Públicas, 13(26), 113–146. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/revistappp/article/view/4050

Edição

Seção

Artigos