A ARTE DE CULTIVAR OS CAMPOS E A ARTE DE TECER OS FIOS NO SUL DE MINAS GERAIS

Autores

Palavras-chave:

agricultura familiar, ruralidade, circuito das malhas

Resumo

O presente trabalho lança um olhar sobre os municípios de Ouro Fino e Monte Sião, no sul de Minas Gerais, que combinam a agricultura, calcada principalmente na cultura do café, a pecuária leiteira e a hoje indústria de malharia. A produção agropecuária sul mineira ganhou impulso com a descoberta de ouro na região central do estado e a posterior instalação da corte portuguesa no Rio de Janeiro. Tropas de mulas cruzavam a Serra da Mantiqueira para abastecer os mercados do Rio e de São Paulo, direcionando, pela primeira vez, a produção nacional para o mercado interno. No município de Monte Sião, o tricô teve início na década de 1950 e nas últimas décadas transformou-se em principal atividade econômica. Mas tanto em Ouro Fino como em Monte Sião, o processo de urbanização ocorreu sem provocar uma ruptura completa com o passado rural. A forte presença da agricultura familiar tece uma ponte permanente entre esses espaços e cria o que pode ser denominado de uma “cultura da roça”, com a manutenção de tradições, como as muitas festas que acontecem nos bairros rurais. O presente estudo deriva de observações de campo nos últimos dez anos e da leitura de autores que se debruçaram sobre a história da região e sobre a formação do campesinato brasileiro.

Biografia do Autor

REGINA APARECIDA LEITE DE CAMARGO, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" UNESP

Departamento de Economia, Administração e Educação

Downloads

Publicado

28/09/2020

Como Citar

DE CAMARGO, R. A. L. (2020). A ARTE DE CULTIVAR OS CAMPOS E A ARTE DE TECER OS FIOS NO SUL DE MINAS GERAIS. Perspectivas Em Políticas Públicas, 13(26), 7–29. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/revistappp/article/view/4937

Edição

Seção

Artigos