A permanência do estilo funcionalista: entre apropriações e ressignificações

Autores

  • Thainan Noronha Andrade Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

resumo [pt]: No campo do design, o Funcionalismo permaneceu como um modelo de excelência de caráter normativo no decorrer do século XX, norteando a produção de objetos, imagens e edificações, cujos vestígios ainda podem ser percebidos atualmente. Este trabalho investiga o desenvolvimento do estilo funcionalista na história do design e o processo de apropriação cultural que experimentou no decorrer de sua existência e permanência. Inicialmente, resultado de um esforço orientado em uma transformação social, visando a melhoria de vida da classe trabalhadora, o Funcionalismo torna-se uma ferramenta de distinção sociocultural utilizada por grupos específicos para se diferenciarem da cultura tida como “popular”. Devido à natureza sintética deste trabalho, há ainda um amplo espectro a ser explorado por futuras pesquisas.

 

Palavras-chave: Funcionalismo. Apropriação. Design.

Biografia do Autor

Thainan Noronha Andrade, Universidade Federal de Minas Gerais

Thainan Noronha de Andrade é bacharelem Design de Produto pela Universidade do Estado de Minas Gerais, Mestre e Doutorando em História pela Universidade Federal de Minas Gerais, bolsista CAPES.

Referências

ARGAN, Giulio Carlo. Walter Gropius e a Bauhaus. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005. 255 p.

BETTS, Paul. The authority of everyday objects: a cultural history of West German industrial design. Berkeley: University of California, 2004, 350 p.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, 424p.

BÜRDEK, B. História, teoria e prática do design de produtos. São Paulo: Edgar Blücher, 2006, 496 p.

CALVERA, A. Diseño e Historia: Tiempo, Lugar y Discurso. Barcelona: Editorial Designio, 2010. 188 p.

CONSPÍCUO. In: FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Eletrônico Aurélio versão 7.0, 5 ed. [s.l]: Positivo, 2010.

DENIS, Rafael Cardoso. Uma Introdução à História do design. São Paulo:Edgard Blucher, 2000, 240 p.

DROSTE, Magdalena. Bauhaus 1919-1933 – Reform and Avant-Garde. Colônia:Taschen, 2014, 96 p.

FAGGIANI, Katia. O poder do design: da ostentação à emoção. Brasília:Thesaurus, 2006. 136 p.

HAUFFE, Thomas. Design, an illustrated historical overview. New York:Barron, 1996, 192 p.

HESKETT, John. Desenho Industrial. Rio de Janeiro: José Olympio/UnB, 1997, 227 p.

JULIER, Guy. The Thames and Hudson encyclopaedia of 20th century design and designers. London: Thames and Hudson, 1993. 216 p.

KOZEL, Nina. Design – the groundbreaking moments. New York: Prestel, 2013, 192 p.

LOOS, Adolf. Ornament and crime. Disponível em <https://www2.gwu. edu/~art/Temporary_SL/177/pdfs/Loos.pdf>

MEIKLE, Jeffrey. Design in the USA. Oxford: Oxford University Press, 2005.

MEURER, Bernd. Modernity and the Ulm School. In Noblet, J. (Ed.). Industrial design: reflection of a century, p. 226-237. Paris: Flammarion, 1993.

PAIM, Gilberto. A beleza sob suspeita: o ornamento em Ruskin, Lloyd Wright, Loos, Le Corbusier e outros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. 147 p.

PEREIRA, L. M.; MEDEIROS, M. C.; HATADANI, P.; ANDRADE, R. R.; DA SILVA, J. C. Pl. Bauhaus: acertos, fracassos e ensino. 9º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. São Paulo: Blücher e Universidade Anhembi Morumbi, 2010. Disponível em: <http://blogs.anhembi.br/congressodesign/ anais/artigos/69512.pdf>

PEVSNER, Nikolaus. Origens da arquitetura moderna e do design. São Paulo: 1981. 227p.

SCHNEIDER. Beat. Design uma introdução – o design no contexto social, cul-tural e econômico. São Paulo: Blucher, 2010, 299 p.

SPARKE, P. et al. Design Source Book. London: Macdonal, 1986, 224 p.

WOODHAM, Jonathan M. Ornament and industrial design: culture, status and identity. In: Noblet, J. (Ed.). Industrial design: reflection of a century, p. 346-354. Paris: Flammarion, 1993.

Downloads

Publicado

17/09/2020

Como Citar

Andrade, T. N. (2020). A permanência do estilo funcionalista: entre apropriações e ressignificações. REVISTA TRANSVERSO: DIÁLOGOS ENTRE DESIGN, CULTURA E SOCIEDADE, (8). Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/transverso/article/view/5198