SOBRE EXPERIÊNCIAS PARTICIPATIVAS E O PROCESSO FORMATIVO: QUESTÕES PARA O DEBATE

Francisco André Silva Martins, Geraldo Magela Pereira Leão

Resumo


O presente artigo tem como proposta central apresentar reflexões em torno dos conceitos de experiência, participação política e militância. A pretensão é por promover uma interlocução entre as potencialidades formativas inerentes aos sujeitos inseridos e engajados em experiências participativas e de militância em movimentos sociais na contemporaneidade. O arcabouço teórico aqui debatido subsidiou uma pesquisa em Educação que investigou as experiências participativas de um grupo de jovens militantes que atuavam em uma ocupação urbana, buscando compreender as dimensões formativas desse tipo de engajamento. Nesse mesmo contexto, foi estabelecido um debate com foco na complexidade da sociedade atual e nas potencialidades e possibilidades participativas/formativas proporcionadas pela realidade social, bem como uma discussão em torno dos conceitos de sujeito, indivíduo e ator.

Palavras-chave


Experiência formativa. Participação política. Militância. Movimentos sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências Bibliográficas:

ARROYO, Miguel. Pedagogias em movimento: o que temos que aprender dos movimentos sociais? In. NOGUEIRA, Paulo Henrique de Queiroz; MIRANDA, Shirley Aparecida de (Orgs.). Miguel González Arroyo: um educador em diálogo com o nosso tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

ARROYO, Miguel. Outros sujeitos, outras pedagogias. Petrópolis: Vozes, 2012.

BAQUERO, Marcello; BAQUERO, Rute. Novos padrões de participação política dos jovens na democracia brasileira? Revista Em Debate, v. 4, n. 8, nov. 2012.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BERTUCCI, Liane Maria; FARIA FILHO, Luciano Mendes de; OLIVEIRA, Marcus Aurélio Taborda de. Edward P. Thompson: história e formação. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, n. 19, jan. / abr. 2002.

CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento Sem Terra. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

DUBET, François. Sociologia da experiência. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.

DURKHEIM, E. Educação e Sociologia. São Paulo: Edições Melhoramentos, 1955.

__________ . Sociologia, educação e moral. Porto: Rés,1984.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GIDDENS, Antony. Modernidade e identidade. Rio de Janeio: Jorge Zahar, 2002.

LAHIRE, Bernard. Homem Plural. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARTUCCELLI, Danilo. Gramáticas del individuo. Buenos Aires: Editora Losada, 2007.

MELUCCI, Alberto. Acción colectiva, vida cotidiana y democracia. Pedregal de Santa Tereza: Centro de Estudos Sociológicos, 1999.

______. A invenção do presente. Petrópolis: Vozes, 2001.

______. O jogo do eu. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

REIS, Juliana Batista dos. Transversalidade nos modos de socialização e individuação: experiências juvenis em rede. 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2014.

SADER, Eder. Quando novos personagens entram em cena. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

SCHERER-WARREN, Ilse; LÜCHMANN, Lígia Helena Hahn. Repertórios de ação e repertórios de interpretação: trinta anos de estudos sobre movimentos sociais no Brasil. In: SCHERER-WARREN, Ilse; LÜCHMANN, Lígia Helena Hahn (Orgs.). Movimentos Sociais e engajamento político: trajetórias e tendências analíticas. Florianópolis: Editora UFSC, 2015.

THOMPSON, E. P. A miséria da teoria. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

______. A formação da classe operária inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

TOURAINE, Alain. Na fronteira dos Movimentos Sociais. Revista Sociedade e Estado. v. 21, n. 1, p. 17-28, jan/abr 2006.

______. Crítica da Modernidade. Petrópolis: Vozes, 2012.

VÁZQUEZ, Adolfo Sanches. Filosofia da práxis. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

WAUTIER, A. Para uma sociologia da experiência. Uma leitura contemporânea: François Dubet. Sociologias. Ano 5, n. 9, 2003.

ZEMELMAN, Hugo. Sujeito e sentido: considerações sobre a vinculação do sujeito ao conhecimento que constrói. In: SANTOS, Boaventura de Sousa (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente. São Paulo: Cortez, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.24934/eef.v22i38.2906

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Francisco André Silva Martins, Geraldo Magela Pereira Leão