As nuances do acolhimento aos familiares dos socioeducandos no CASE/CENIP Garanhuns

Autores

  • Marcelly Araujo Oliveira Universidade de Pernambuco
  • Suely Santos Universidade de Pernambuco
  • Wanessa Gomes Universidade de Pernambuco

Resumo

O objetivo do presente estudo é compreender o sentido do acolhimento para as famílias dos socioeducandos em cumprimento de medida socioeducativa de Internação e Internação Provisória no CASE/ CENIP Garanhuns. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo em que o principal instrumento de coleta de dados é a Roda de Conversação. A intervenção foi realizada com familiares de adolescente/ jovens durante o momento em que estavam realizando a visita, suas falas foram analisadas tendo por base o método da Análise de Conteúdo. Foi observado que: o acolhimento aos familiares passa, principalmente, pelo acolhimento às demandas dos adolescentes/ jovens na situação de socioeducandos, à necessidade de “cuidar do cuidado” e que algumas práticas precisam ser repensadas a fim de fazer da instituição um ambiente acolhedor.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BOURDIEU, P. O Poder Simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: DIFEL, 1989.

CAMPOS, G.W.S. Saúde pública e saúde coletiva: campo e núcleo de saberes práticas. Ciência e Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 219-230. 2000.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>

CUNHA, GT ; CAMPOS, G.W. de S. Método Paidéia para Co-gestão de Coletivos Organizados para o Trabalho. (pp. 31-46). Org & Demo, Marília, v.11, n.1, jan./jun. 2010.

FALEIROS, V. P. Infância e Processo Politico no Brasil. In: Rizzini, I. & Pilotti, F. (orgs). A arte de governar crianças: a história das políticas sociais, da legislação e da assistência à infância no Brasil. -3.ed- (pp. 33- 97) São Paulo: Cortez. 2011.

BRASIL. Lei n. 8.069 de 13 de Julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e da outras providencias. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm>.

BRASIL. Lei complementar n. 132 de 11 de Dezembro de 2008. Reestrutura e redenomina a Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac). Disponível em: <http://www.funase.pe.gov.br/doc/leifunaseDO.pdf>

BRASIL. Lei 12.594 de 18 de Janeiro de 2012. Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12594.htm>

LOSACCO, S. In: ACOSTA, A.N.; VITALE,M. A. F. (Orgs) Famílias e políticas públicas. Família: redes, laços e políticas públicas (5° ed.). (pp 75-90) São Paulo: Cortez. 2008.

MARTINO, M. Programas de Transferência condicionadas, famílias e gênero: aproximações a alguns dilemas e desencontros In: MIOTO, R.C.T.; CAMPOS, M.S. ; CARLOTO, C.M. (orgs). Familismo, direito e cidadania: contradições da política social. (pp. 95-124). São Paulo: Cortez. 2015.

MEDEIROS, F.C.A.; Paiva, I. L. Convivência familiar no processo socioeducativo de adolescentes em privação de liberdade. Centro de Referência em Direitos Humanos - CRDH, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Brasil. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 15 n. 2 p. 568-586. 2015.

MERHY, E. E. A perda da dimensão cuidadora na produção da saúde: uma discussão do modelo assistencial e da intervenção no seu modo de trabalhar a assistência. in: Sistema Único de Saúde em Belo Horizonte – Reescrevendo o Público; Ed. Xamã; São Paulo.1998.

MERHY, E. E. O ato de governar as tensões constitutivas do agir em saúde como desafio permanente de algumas estratégias gerenciais. (pp. 305-314). Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2. 1999.

MESTRE, S. O. Amor só de mãe: Drama e estigma de mães de adolescentes privados de liberdade (Parte II). (pp-161-190). Zona de Impacto. ISSN 1982-9108. ANO 17, Volume 2. 2015.

MICHAELIS, Dicionário online. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/>.

MINAYO, M.C.S. (2016) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. MINAYO, MC (org.); DESLANDES, F.S.; GOMES, R.- Petrópolis, RJ: vozes. (serie manuais acadêmicos) 2016.

NARDI, F.L.; DELL’AGLIO, D.D. Adolescentes em Conflito com a Lei: Percepções sobre a Família. (pp. 181-191). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Abr-Jun Vol. 28 n. 2. 2012.

PENSO, M.A. Dinâmicas familiares e construções identitárias de adolescentes envolvidos em atos infracionais e com drogas. Tese de Doutorado, Universidade de Brasília, Brasília. 2003.

PETRINI, J.C. Mudanças sociais e mudanças familiares. PETRINI, J. C.; CAVALCANTI, V. R. S. (Org.), Família, sociedade e subjetividades. Uma perspectiva multidisciplinar (pp.29-53). Petrópolis: Vozes. 2013.

ROMANELLI, G. O significado da alimentação na família: uma visão antropológica. Medicina, Ribeirão Preto. Simpósio: Transtornos alimentares: anorexia e bulimia nervosas 39 (3): 333-9, jul./ set. 2006.

SANTOS, S.E.B. “Olha!.. Arru(a)ção!?...” (2016). A ação clínica no viver cotidiano: conversação com a fenomenologia existencial. 221 f: il. (Tese de Doutorado). Universidade Católica de Pernambuco, Recife. 2016.

SARTI, C.A. In: ACOSTA, A. R.; VITALE, M.A.F. (Orgs). Famílias e políticas públicas. Família: redes, laços e políticas públicas (5° ed.). (pp. 31-50). São Paulo: Cortez. 2008.

SCOTT, J.W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. (pp. 71-99). Porto Alegre, vol. 20, nº 2,jul./dez.1995.

VOLPI, M. O. Adolescente e o Ato Infracional. 10. ed. Cortez. São Paulo. 2015.

YAZBEK, M.C. Sistemas de Proteção Social, Intersetorialidade e Integração de Políticas Sociais. Janeiro. 2010.

ZAPPE, J.G.; Dias, A.C.G. Violência e fragilidades nas relações familiares: refletindo sobre a situação de adolescentes em conflito com a lei. (pp. 389-395). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Estudos de Psicologia. 2012.

Downloads

Publicado

31/03/2021

Como Citar

Oliveira, M. A., Santos, S., & Gomes, W. (2021). As nuances do acolhimento aos familiares dos socioeducandos no CASE/CENIP Garanhuns. Serviço Social Em Debate, 3(1). Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/serv-soc-debate/article/view/4650

Edição

Seção

Artigos Temáticos