A Exploração Sexual e Comercial de Crianças e do Adolescente - novos formatos pelas redes sociais digitais

Autores

Resumo

O artigo apresenta um estudo sobre as novas configurações da exploração sexual e comercial de crianças e adolescentes (ESCCA) através das chamadas redes sociais digitais. A partir do mapeamento de interações estabelecidas em grupos denominados pelo termo “novinha” no site de rede social Facebook, observou-se a expansão da ESCCA em dimensões mais difusas e encobertas. Tomando como base o conteúdo mapeado em mais de 90 comunidades da rede social, foi possível verificar que o corpo jovem, principalmente o feminino, é objetificado, submetido a situações que envolvem violência sexual e propostas de troca sexual por dinheiro ou bem material. A pesquisa concluiu que a comunicação remota amplia as formas de interação, intensificando riscos e alimentando novas modalidades de abuso e exploração sexual. Com o uso crescente dos recursos digitais, o aliciamento sexual também se dá de modo virtual podendo resultar posteriormente em encontros presenciais.

Biografia do Autor

Joana Garcia, Escola de Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Titular da Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Coordenadora do Nucleo de Estudos e Trabalhos sobre Famílias, Infância e Juventude.

Daiane Pacheco

Assistente Social. Doutora em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Referências

BOURDIEU, Pierre, 1930-2002 A dominação masculina/Maria Helena Kühner (trad). 11ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

________________. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

________________. Capital social - notas provisórias. Tradução: Denice Bárbara Catani e Afrânio Mendes Catani. Revisão técnica: Maria Alice Nogueira. Fonte: Bourdieu, Pierre, "Le capital social- notes provisoires", publicado originalmente in Actes de Ia recherche en sciences sociales, Paris, n. 31, 1980, pp. 2-3.

BOLL, Julio. “Um Crime Entre Nós” debate a exploração sexual de crianças no Brasil”, in GaúchaZH. 17/05/2020. Disponível em https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/tv/noticia/2020/05/um-crime-entre-nos-debate-a-exploracao-sexual-de-criancas-no-brasil-ckabkq2g00086015ntmm76ukb.html. Acesso em 30/06/2020.

CAMPOS, Daniel de Souza. Análise da atuação do conselho tutelar diante das notificações de abuso e exploração sexual. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências). Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro.

HOHENDORFF, J. V.; HABIGZANG, L. F.; KOLLER, S. H.; Violência Sexual Contra Meninos: Dados Epidemiológicos, características e consequências. Psicologia USP, São Paulo, 2012, pp 395-415.

LANDINI, T. S. A pornografia infantil na internet - uma perspectiva sociológica. In LIBÓRIO, Renata Maria Coimbra. SOUSA, Sônia M. Gomes. (orgs). A exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil: reflexões teóricas, relatos de pesquisas e intervenções psicossociais. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

LOWENKRON, Laura. O monstro contemporâneo: a construção social da pedofilia em múltiplos planos. 2012. Tese. (Doutorado em Antropologia Social), Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro/RJ.

MIRANDA, A. B. & MIRANDA, R. Liberdade de expressão com responsabilidade. In LIBÓRIO R. M. C. & SOUSA S. M. G. (Orgs.). A exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004, pp.19-50.

PACHECO, D.R.C. Entre o difuso e o oculto: desafios para o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes. 2013. Dissertação (Mestrado em Serviço Social). Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ/RJ.

PACHECO, D.R.C. “AS NOVINHA DOMINA O FACE”- Uma análise sobre a exploração sexual comercial de crianças e adolescentes nas redes sociais. Tese (Doutorado em Serviço Social). Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ/RJ

PEREIRA, Marília do Nascimento. A superexposição de crianças e adolescentes nas redes sociais: necessária cautela no uso das novas tecnologias para a formação de identidade. In Anais do 3º Congresso Internacional de Direito e Contemporaneidade: mídias e direitos da sociedade em rede. Santa Maria/RS UFSM - Universidade Federal de Santa Maria. 2015. Disponível em http://www.ufsm.br/congressodireito/anais

RECUERO, Raquel & SOARES, Pricilla. Violência simbólica e redes sociais no Facebook: o caso da fanpage Diva Depressão. Galáxia (São Paulo) [on-line]. 2013, vol.13, n.26, pp.239-254. Disponível em http://dx.doi.org/10.

___________. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

SILVA, Rogério Araújo da. Exploração sexual comercial de adolescentes: Apreendendo o fenômeno a partir de diferentes narrativas. 2014. Tese. (Doutorado em Sociologia). Universidade Federal de Goiás. Faculdade Ciências Sociais. Goiânia/GO.

STASSUN, Cristian Caê Seemann. Sociedade do Espelháculo: Facebook gadget como dispositivo de governo das informações, das circulações e do desejo. 2014. Tese (Doutorado em Ciências Humanas). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis/SC.

UNICEF. THE STATE OF THE WORLD’S CHILDREN 2017. Children in a Digital World Disponível em

http://www.crianca.mppr.mp.br/arquivos/File/publi/unicef_sowc/sit_mund_inf_2017.pdf

Relatório de Pesquisa. TIC kids online Brasil. Análise dos resultados. 2015. Disponível em:http://cetic.br/media/docs/publicacoes/2/TIC_Kids_2015_LIVRO_ELETRON ICO.pdf

Downloads

Publicado

31/03/2021

Como Citar

Garcia, J., & Pacheco, D. (2021). A Exploração Sexual e Comercial de Crianças e do Adolescente - novos formatos pelas redes sociais digitais. Serviço Social Em Debate, 3(1). Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/serv-soc-debate/article/view/4969

Edição

Seção

Artigos Temáticos