PARTO (DES) HUMANIZADO: AS CONSEQUÊNCIAS DA VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA EM PUÉRPERAS NA CONDIÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIAL

Autores

  • Janiely Silva Sousa Centro Universitário Estácio de Santa Catarina
  • Felipe Augusto Leques Tonial Centro Universitário Estácio de Santa Catarina.
  • Amanda Castro Centro Universitário Estácio de Santa Catarina.
  • Giorgia Kretzer Hinckel Centro de Referência da Assistência Social Continente I, Florianópolis/ SC.

Resumo

O presente artigo descreve e problematiza as formas de cuidado na assistência das mulheres em seus processos reprodutivos, tendo como ponto central a violência obstétrica em puérperas em condição de vulnerabilidade social, onde são identificadas ações de desumanização na assistência à gestação, parto e pós-parto. O objetivo desta pesquisa é, então, identificar as consequências de tais violências na vida de mulheres em situação de vulnerabilidade social. Foi feita uma revisão sistemática com produções científicas que contemplam o tema e que possuem como resultados informações a respeito da existência de procedimentos irregulares na atenção da mulher gestante, legitimando a prática da violência obstétrica em mulheres que estão em vulnerabilidade social. Com isso, possibilitam-se condições de problematizar a intensificação do sofrimento ético-político como consequência de tal desrespeito na vida de mulheres negras, pobres e negligenciadas pelo Estado e vítimas da violência obstétrica. Assim, a violação dos direitos reprodutivos é uma causa que precisa ser vista, discutida, enfatizada e confrontada em nossa sociedade. 

Biografia do Autor

Janiely Silva Sousa, Centro Universitário Estácio de Santa Catarina

Graduanda em Psicologia, no Centro Universitário Estácio de Santa Catarina. 

Felipe Augusto Leques Tonial, Centro Universitário Estácio de Santa Catarina.

Doutor em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Centro Universitário Estácio de Santa Catarina.

Amanda Castro, Centro Universitário Estácio de Santa Catarina.

Drª em Psicologia (UFSC). Psicodramatista Didata Supervisora (Escola Viver Psicologia Psicodrama). Especialista em Psicodrama (UNIFIA) Especialista em Psicologia do desenvolvimento (UNIARA). Professora universitária (UNESC/Estácio de Sá.

Giorgia Kretzer Hinckel, Centro de Referência da Assistência Social Continente I, Florianópolis/ SC.

Psicóloga, Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental pelo Instituto Catarinense de Terapia Cognitiva. Psicóloga do Centro de Referência da Assistência Social Continente I, da Prefeitura de Florianópolis, localizado na Avenida Santa Catarina, 1488. Bairro: Balneário. CEP: 88075-500. Florianópolis/SC. E-mail: giorgiak.h@gmail.com.

Downloads

Publicado

15/02/2021

Como Citar

Silva Sousa, J., Tonial, F. A. L., Castro, A., & Hinckel, G. K. (2021). PARTO (DES) HUMANIZADO: AS CONSEQUÊNCIAS DA VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA EM PUÉRPERAS NA CONDIÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIAL. Serviço Social Em Debate, 2(2). Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/serv-soc-debate/article/view/5059

Edição

Seção

Artigos