Chico Bento no ensino da variação linguística

Autores

  • BIANCA AMARAL DA CUNHA
  • ANTÔNIO AUGUSTO MOREIRA DE FARIA Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Resumo

Este artigo é parte de uma dissertação de mestrado da UFMG e analisa uma experiência escolar com quadrinhos do Chico Bento, personagem de Maurício de Sousa, evidenciando a variação linguística. A proposta, realizada em uma escola pública de Cláudio-MG, visou levar os alunos a reconhecerem a língua como meio de construção de identidade e a refletirem sobre o fenômeno da variação, direcionando-os ao respeito diante das variedades não padrão da língua. Para tanto, partiu-se de orientações oficiais para o ensino de Português (BNCC, 2017), de estudos sociolinguísticos (BORTONI-RICARDO, 2011; RANGEL, 2010), e do uso pedagógico dos quadrinhos (RAMOS, 2009; 2016). À luz de tais teorias, atividades didáticas para leitura e compreensão de histórias em quadrinhos, principalmente do personagem Chico Bento, foram elaboradas e posteriormente usadas nas aulas de Língua Portuguesa no 6º ano do ensino fundamental. Os resultados ressaltam as contribuições dessa proposta para o ensino de língua materna e reafirmam a necessidade da formação sociolinguística na escola.

Biografia do Autor

BIANCA AMARAL DA CUNHA

Mestre em Letras (Profletras - UFMG)

Professora de Português e Inglês na Escola Estadual Presidente Tancredo de Almeida Neves

ANTÔNIO AUGUSTO MOREIRA DE FARIA, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Pós-Doutor em Linguística Aplicada e Ensino de Línguas (PUC-SP)

Professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Publicado

11/08/2020

Como Citar

CUNHA, B. A. D., & FARIA, A. A. M. D. (2020). Chico Bento no ensino da variação linguística. Ciências Gerenciais Em Foco, 11(9), 125–141. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/cgf/article/view/5049

Edição

Seção

Artigos