O psicodiagnóstico infantil na elucidação do sintoma escolar: potencialidades e limites

Autores

  • Eloisa Borges
  • Rogéria Araújo Guimarães Gontijo UNA Divinópolis

Resumo

Este artigo objetiva discutir o psicodiagnóstico infantil como um instrumento eficaz na elucidação do sintoma escolar da criança. Neste intuito, será apresentado, sucintamente, como se desenvolve o referido processo, bem como suas etapas. São examinadas possíveis dificuldades e críticas concernentes a esta técnica e finaliza-se o artigo propondo uma interlocução com a psicologia social. O método utilizado para essa investigação foi revisão bibliográfica acerca do tema, constituindo este um ensaio teórico. Foi possível concluir que esta prática da psicologia apresenta relevância e pode contribuir no esclarecimento das dificuldades escolares da criança, especialmente quando avança em direção à perspectiva psicossocial, que permite refletir sobre uma ampla gama de aspectos que impactam a vivência cotidiana da criança no sistema escolar.

Biografia do Autor

Eloisa Borges

Psicóloga e mestra em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG. Docente do curso de Psicologia do INESP entre 1998 e 2014, tendo lecionado Psicologia Social e Psicologia Comunitária, orientadora de estágio e Trabalhos de Conclusão de Curso. Na Universidade do Estado de Minas Gerais - Unidade Divinópolis continuou lecionando as referidas disciplinas entre 2015 e 2019.

Rogéria Araújo Guimarães Gontijo, UNA Divinópolis

Graduação em Psicologia INESP/UEMG; Mestrado em Psicologia: Abordagens Clínicas PUCMINAS; Doutorado em Psicologia: Estudos Psicanalíticos UFMG

Publicado

11/08/2020

Como Citar

Borges, E., & Guimarães Gontijo, R. A. (2020). O psicodiagnóstico infantil na elucidação do sintoma escolar: potencialidades e limites. Ciências Gerenciais Em Foco, 11(9), 01–16. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/cgf/article/view/5063

Edição

Seção

Ensaios