A potência da quadratura e a pujança da Perspectiva na Lisboa Joanina

Autores

Palavras-chave:

Tratados, Arte decorativa, Arte Perspectica, São Vicente de Fora

Resumo

Resumo: O estudo propõe analisar a pintura perspéctica em Portugal no período que corresponde aos séculos  XVII e XVIII. Esta abordagem enfatiza a relação da história da Ciência com a História da Artes atraves do estudo da produção dos tratados manuscritos ou impressos, será possível explicar melhor não só o papel fundamental da elite intelectual da época, como também o conhecimento de uma verdadeira postura teórica em relação a quadratura na perspectiva de Joanina. Nesse sentido, busca-se refletir sobre a arte decorativa e perspectica de  São Vicente de Fora em Portugal. 

Palavra chave: Tratados; Arte de perspectiva; Arte decorativa; Saõ Vicente de Fora; Século XVIII.

Abstract: The study proposes to analyze perspective painting in Portugal in the period corresponding to the 17th and 18th centuries. This approach emphasizes the relationship between the history of Science and the History of the Arts through the study of the production of manuscripts or printed treatises, it will be possible to better explain not only the fundamental role of the intellectual elite of the time, but also the knowledge of a true theoretical posture in relation to the square in Joanina's perspective. In this sense, we seek to reflect on the decorative art and perspective of São Vicente de Fora in Portugal.

Keywords: Treaties; Perspective art; Decorative art; Sao Vicente de Fora; XVIII century.

Recebido em: 03/09/2021 – Aceito em 30/09/2021

 

Biografia do Autor

Magno Moraes Mello, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Possui graduação em História pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Belo Horizonte (1983); especialização em Crítica de Arte e Museologia pela Università Internazionale dellArte de Florença (1990); mestrado em História da Arte pela Universidade Nova de Lisboa (1997); doutorado em História da Arte pela Universidade Nova de Lisboa (2002); pós doutorado em História da Arte pela Università degli Studi di Firenze (2012). Atualmente é professor (Associado II) de História da Arte da Universidade Federal de Minas Gerais. Está vinculado ao Departamento de História (FAFICH) e pertence a Linha História Social da Cultura. Lidera o grupo de pesquisa intitulado Perspectiva Pictorum (desde 2006) responsável pela investigação sistematizada em uma base de dados sobre a pintura Barroca/Rococó no Brasil; pertence ainda ao grupo de pesquisa intitulado Architectural Perspective: digital preservation content access and analytics (desde 2012), sediado na Università degli Studi di Roma (La Sapienza). Este grupo tem como objetivo pesquisas referentes à pintura de falsa arquitetura e estudos sobre tratados de pintura e de perspectiva, entre a Europa e o Brasil. Tem experiência na área de História da Arte privilegiando as abordagens entre os séculos XVII e XVIII. Atua principalmente nos seguintes temas: pintura de falsa arquitetura (quadratura) barroca; forros barrocos e rococós; estudos dos tratados de perspectiva e de pintura do tempo do barroco no universo luso brasileiro. Pesquisador e colaborador na Università degli Studi di Firenze. Tem experiência na área de História, com ênfase em História da Arte da Idade Moderna, atuando principalmente nos seguintes temas: arte barroca, arte e história, arte e cultura, arte colonial e história da arte. Atualmente é bolsista Pesquisador Mineiro pela FAPEMIG e bolsista Produtividade CNPQ.

Referências

Referencias Bibliograficas:

AGUILONIUS, Francesco (1556-1617). Opticarum Libri VI, Philosophis Inxta ac Mathematicis utilis, 1612.

AVELINO, Andres. Notícia Individual del Sagrado culto, con que la devoción desta Corte de Lisboa celebrò en un Octavario de Solemnes fiestas LA CANONIZACION del Glorioso S. ANDRES AVELINO...con la descripcion de su magnifico adorno.

BACHERELLI, R. Chiarelli, in B. Bertoni (dir.), Dizionario Biografico degli Italiani, 5, Roma, 1963, p. 20.Biblioteca Nacional de Lisboa, Compendio de Novas da Europa, desde 1 de Abril de 1713, Caixa 2, fol. 12 veja: A. de Carvalho, op. cit., p. 211.

BARGELLINI, Clara. Cristóbal de Villalpando at the Cathedral of Puebla, in Struggle for Synthesis – A Obra de Arte Total nos Séculos XVII e XVIII, Lisboa, 1999, p. 129-136.

BALDINI, U.. L’insegnamento della Matematica nel Collegio di Santo Antão a Lisbona, 1590-1640, in A Companhia de Jesus e a Missionação no Oriente, Lisboa, 2000, p. 274-310

CALADO, Margarida. Baccarelli, Vincenzo, in J. Fernandes Pereira (dir.), Dicionário de Arte Barroca em Portugal, Lisboa, 1989, p. 62-63.

CASTRO, João. Baptista de. Mappa de Portugal, Lisboa, 1878.

CHEN, Artur H..Macau: Transporting The Idea of Linear Perspective, Macau, 1998.

COELHO, João Paulo Cabeleira Marques. “Inácio Vieira: optics and Perspective as Instruments towards a sensitive space” IN Nexus network Journal, Vol. 1, N. 3, 2011.

CORSI, Elizabetta. La Fábrica de las ilusiones – los jesuitas y la difusión de la perspectiva lineal en China, 1698-1766. El Colegio de México. 2004.

COSTA, Luiz Xavier da. As belas-Arte Plásticas em Portugal durante o século XVIII, J. Rodrigues & C.ª Editores, Lisboa, 1935, pp. 68, 72, 136, 137.

DIAS, João Perira. Cenários do Teatro Nacional de São Carlos, Lisboa, 1940, p. 19,

DU FRESNOY, Carlo Alfonso. L’arte della Pittura, Roma, 1713.

GABURRI, Francesco Maria. Vite di Pittori, 1740-1741, Biblioteca Nacionale di Firenze, EB. 95, fol. 160 e 160v.

GOMES, Alexandra Reis. “A Colecção de Desenhos do Museu da Janelas Verdes”, in Desenho – A Colecção do MNAA, Lisboa, Electa, 1994.

HIZOLA. Motivado de su devoción, un español matritense. Lisboa, 1713, p. 3:

KIRCHER, Athanasio S.J. (1602-1680). Ars Magna Lucis et Umbrae in Decem Libros Digesta, Roma, 1646.

LEITÃO, Henrique. A Ciência na Aula da Esfera no Colégio de Santo Antão 1590-1759. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2007. p. 47.

MACHADO, Cirilo Volkmar. Collecções de Memórias (...), Lisboa, 1922, p. 167.

MARRINI, Orazio. Série di Ritratti di Celebri Pittori Dipinti di Propria Mano in Seguito a Quella già nel Museo Fiorentino Esistente Appresso l’Abate Antonio Pazzi, Firenze, 1764.

MELLO, Magno Moraes. A Morfologia da Pintura Decorativa: o Nordeste Brasileiro, in O Barroco e o Mundo Ibero-Atlântico, Lisboa, 1998, p. 88-102.

MELLO, Magno Moraes. Os Tectos Pintados em Santarém Durante a Fase Barroca, Santarém, 2001, p. 117.

MELLO, Magno Moraes. Perspectiva Pictorum. As Arquitecturas Ilusórias nos Tectos Pintados em Portugal no Século XVIII, (tese de Doutoramento em História de Arte apresentada à Universidade Nova de Lisboa, 2002).

MELLO, Magno Moraes. COD. 4414: Um Manuscrito na BNL do Perspectiva Pictorum et Architectorum de Andrea Pozzo S.J. traduzido para o português em 1768 para Fr. José de Santo António Ferreira Vilaça, in Leituras: Revista da Biblioteca Nacional de Lisboa, 3, 9-10, 2002, p. 389-397.

MELLO, Magno Moraes. “Vincenzo Bacherelli fra Firenze e Portogallo: la diffusione della quadratura alla corte di Giovanni V. L’uso della prospettiva e la sua diffusione teorica in seno alla cultura matematica dei Gesuiti nella prima metà del Settecento”, IN Prospettive architettoniche conservazione digitale, divulgazione e studio, (a cura di Graziano Mario Valenti), Volume I, Sapienza, Roma, Sapienza Università Editrice, 2014, pp. 23-33.

MELLO, Magno Moraes. “Entre o formulário italo-português e a experiência do ilusionismo arquitetônico na América Poetuguesa”, IN La pintura ilusionista entre europa y América (Org. José Manuel Almansa Moreno; Magno Moraes Mello; Rafael Molina Martim), Universo Barroco Iberoamericano, 12.º, Sevilla, 2020, pp. 297-335.

MELLO, Magno Moraes. “Diante das imagens – saber ver a pintura no Brasil Colonial” IN E-Hum, Dossiê A história da arte e a construção da fantasia no Mundo Barroco, Belo Horizonte, Vol. 13, N. 1, janeiro/julho de 2020, p. 53.

MILLIET-DECHALES, Claudio S.J., (1621-1678), “Optica Perspectiva su Radio Directo; Catoptrica; Dioptrica”, in Cursus seu Mundus Mathematicus, Lyon, 1674.

MORAIS, Renata Nogueira Gomes de. A compreensão de Filipe Nunes acerca da Pintura e dos seus elementos técnico- científicos no tratado de arte da pintura, symmetria e perspectiva, Lisboa, 1615. Dissertação de mestrado, UFMG, 2014.

MOREIRA, Rafael. Uma Desconhecida Utopia Urbanística Pombalina: o Tratado de Ruação de José de Figueiredo Seixas, in Pombal Revisitado, vol. II, Lisboa, 1983.

MOREIRA, Rafael. A Escola de Arquitectura do Paço da Ribeira e a Academia de Matemática de Madrid, in II Simpósio Luso-Espanhol de História da Arte – As relações Artísticas entre Portugal e Espanha na Época dos Descobrimentos, Coimbra, 1987, p. 65.

MOREIRA, Rafael.Tratados de Arquitectura, in José Fernandes Pereira (dir.), Dicionário da Arte Barroca em Portugal, Lisboa, 1989, p. 492-494.

MOREIRA, Rafael. “Novos contributos sobre a obra de Vincenzo Bacherelli em Lisboa c. 1700-1721” IN (Org. Magno Moraes Mello) Arte e Ciência – o triunfo do ilusionismo na arte barroca, FAFICH, Belo Horizonte, 2020, pp. 255-274.

NUNES, Filipe. Arte Poética, Simetria e Perspectiva, Lisboa, 1615.

PAMPLONA, Fernando. Dicionário de Pintores e Escultores Portugueses, vol. I, Livraria Civilização Editora, 200, p. 186.

PASTOR, Andrés Martím. “Compendio Matematico de Tomás Vicente de Tosca, IN Revista de Expresión grafica en la edificación, Sevilla, Novembro, 2007, pp. 85-89.

PEREIRA, José Fernandes. Pimentel, Serrão, in José Fernandes Pereira (dir.), Dicionário da Arte Barroca em Portugal, Lisboa, 1989, p. 354-355.

PIÑEIRO, J. Maria Lopes e BROTONS, V. Navarro . História de la Ciència al País València, València, 1995.

POZZO, Andrea. Perspectiva Pictorum et Architectorum, Roma, I, 1693 e II, 1700.

RAGGI. Giuseppina. Ilusionismos – Os tectos pintados do Palácio Alvor, MNAA, Lisboa, 2013.

RAYNAUD, Dominique. L’hypothèse d’oxford – essair sur les perspective, Presses Universitaires de France, paris, 1998.

SACAMOZZI, Vincenzo (1552/57-1616). Dell’idea dell’Architettura Universale di Vincenzo Scamozzi divisa in X Libri, Venecia, 1616.

SALDANHA, Nuno Saldanha. “O Mosteiro de São Vicente de Fora”, in O Livro de Lisboa, Livros Horizonte, 1994, pp. 207-218.

SALVADORI, F. Borromi. Francesco Maria Niccolò Gabburi e gli Contemporanei, Annali della Scuola Superiore di Pisa, IV, 1974, p. 1534.

SAN NICOLÁS, Fray Lorenzo de (1595-1679). Arte y Uso de la Architectura, Madrid, 1633.

SCHEINER, Christophe. S.J. (1575/79-1650). Pantografice, Seu Ars Delineandi Res Quaslibet Per Parallelogrammum Lineare Seu Cavum (...), Roma, 1631.

Sphaera Mundi: A Ciência na Aula da Esfera – manuscritos científicos do Colégio de Santo Antão nas colecções da BNP, (Comissário científico Henrique Leitão), Lisboa, Biblioteca Nacional de Portugal, 2008;

Sphaera Mundi: Estrelas de Papel – livros de astronomia dos séculos XIV a XVIII, Lisboa, Biblioteca Nacional de Portugal, 2009.

SILVA, Mateus Alves. Perspectiva pictorum et architectorum. A perspectiva dos pintores e dos arquitetos de Andrea Pozzo, S.J, Tese de doutorado, Unicamp, Campinas, 2020, pp.148-191.

TABORDA. J. da Cunha. As Regras da Arte da Pintura, Coimbra, 1815, p. 259-261.

VIEIRA, Domingos.Tratado Matemático que Contém a Óptica Especulativa e Prática ou Perspectiva. Biblioteca da Academia Militar, 1709.

VIEIRA, Inácio. S.J.. Tratado de Perspectiva, ms. 1715, fol. 321.

VIEIRA, Inácio. S.J.. Tratado da Catóptrica, ms., (inédito), Biblioteca Nacional de Lisboa, 1717.

VITERBO, Sousa. Notícias sobre Alguns Pintores Portugueses, Lisboa, 1903, p. 19.

Downloads

Publicado

21/01/2022

Como Citar

Moraes Mello, M. (2022). A potência da quadratura e a pujança da Perspectiva na Lisboa Joanina. Linguagens Nas Artes, 2(2), 74–90. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/linguagensnasartes/article/view/6060