Catherine Earnshaw: as faces da opressão feminina em O morro dos Ventos Uivantes de Emily Brontë

Autores

Palavras-chave:

Opressão feminina, narrativa fantástica, melancolia, feminismo.

Resumo

Este artigo aborda aspectos da personagem Catherine Earnshaw que reflete a submissão feminina e a opressão que as mulheres estão sujeitas dentro de uma estrutura social preconceituosa e violenta. Esse debate só foi possível a partir de dois trajetos distintos, o primeiro foi através da leitura do romance O Morro dos Ventos Uivantes da escritora inglesa Emily Brontë (2007), o segundo foi por intermédio das aulas de Literatura e Estudos Pós-Coloniais e Decoloniais na/da Pan-Amazônia do Programa de Pós-Graduação Mestrado Acadêmico em Estudos Literários da Universidade Federal de Rondônia. O trabalho procura demonstrar aspectos das personagens que refletem perfis psicológicos autodestrutivos. Vários temas são abordados na trama e entre esses caminhos possíveis estariam a crueldade, a melancolia, o preconceito racial e a opressão feminina, contudo escolhemos trabalhar com este último, trazendo à tona os aspectos de uma sociedade machista. Da concepção sociológica e filosófica que está atrelada a obra, a autora salta para concepções claras de superioridade e inferioridade, utilizando-se de múltiplos narradores e de um protagonista, o Heathcliff, que tem traços marcados de crueldade e que posteriormente passa a exercer dentro desse contexto de exploração e segregação atitudes demarcadamente violentas. Pensado por estes aspectos este artigo está pautado pela análise das estruturas da narrativa feminista de Thomas Bonnici (2000).

Biografia do Autor

Ítalo Lima de Moura, Fundação Universidade Federal de Rondônia

Graduado em História pela Fundação Universidade Federal de Rondônia - UNIR (2019), Mestrando em Estudos Literários pela Fundação Universidade Federal de Rondônia - UNIR (2019).

Marília Lima Pimentel Cotinguiba, Universidade Federal de Rondônia, Departamento de Línguas Vernáculas.

É professora associada da Universidade Federal de Rondônia desde 1998, instituição em que concluiu a licenciatura em Letras. É pós-doutora pelo Núcleo de Estudos Populacionais - NEPO/UNICAMP. Possui doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP, de Araraquara. Mestrado em Teoria da Literatura pela UNESP de São José do Rio Preto. É coordenadora do Mestrado Acadêmico em Letras e faz parte do corpo docente do Programa de Mestrado em Estudos Literários ambos da Universidade Federal de Rondônia. É líder do grupo de pesquisa Migração, Memória e Cultura na Amazônia Brasileira. Orienta pesquisadores sobre temáticas vinculadas a imigrações contemporâneas, imigração haitiana, migração e gênero, literatura haitiana e caribenha, análise de discurso, ensino de Língua Portuguesa para imigrantes e na área de Linguística Aplicada. Realiza pesquisas na área de imigração, políticas públicas e direitos humanos para imigrantes, ensino de Língua Portuguesa para imigrantes e sobre as mulheres haitianas e o fluxo migratório para o Brasil e análise de discurso. Participa do Serviço Pastoral do Migrante e colabora com a acolhida e acesso a direitos sociais para migrantes em Porto Velho.

Referências

BONNICI, Thomas. O Pós-colonialismo e a literatura: estratégias de leitura. Maringá: Eduem, 2000.

BRONTE, Emily. O Morro dos Ventos Uivantes. Lisboa: Printer Indústria Gráfica S. A. edição 1850.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. Lisboa: Augusto Sá da Costa Ltda. 1978

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968.

Downloads

Publicado

08/06/2020

Como Citar

de Moura, Ítalo L., & Cotinguiba, M. L. P. (2020). Catherine Earnshaw: as faces da opressão feminina em O morro dos Ventos Uivantes de Emily Brontë. Mediação, (10), 43–52. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/mediacao/article/view/4316

Edição

Seção

Artigos