Epidemia de febre amarela na bacia do Rio Doce: análise de fatores ambientais, epidemiológicos e efeitos indiretos do rompimento da barragem de Fundão (Samarco S/A)

Autores

  • Gabriel Contini
  • Elvira Carolina Bicalho
  • Sofia Luiza Brito
  • Jaquelline Carla Valamiel de Oliveira e Silva

DOI:

https://doi.org/10.35507/25256041/reis.v5i6.4815

Palavras-chave:

Lama, Qualidade da água, Haemagogus spp, Epizootia

Resumo

O rompimento da barragem de rejeitos de Fundão (Samarco S/A no município de Mariana – MG), em novembro de 2015, liberou 55 milhões m³ de rejeitos, provocando a morte da biota aquática na calha central do Rio Doce e danos nos ecossistemas adjacentes. No início de 2017, iniciou-se uma epidemia de febre amarela em Minas Gerais, com grande parte das ocorrências na região da bacia do Rio Doce. Assim, este trabalho buscou verificar a existência de relação entre os dois fatos ocorridos. Os dados epidemiológicos e de monitoramento da água foram relacionados por meio de Análise de Componentes Principais (ACP), não sendo identificada relação direta entre o dano ambiental e a epidemia. Todavia, fatores como a dizimação dos predadores do mosquito vetor, a proximidade entre o homem e as florestas, e a baixa cobertura vacinal da população foram também considerados como aspectos relevantes. Desse modo, esse estudo analisou os fatores que devem ser considerados em conjunto, no intuito de compreender o aumento da febre amarela na Bacia do Rio Doce após o rompimento da barragem de Fundão.

Biografia do Autor

Gabriel Contini

Engenheiro Ambiental; Pós-graduando em Docência com ênfase em Educação Básica

Engenheiro Ambiental; Pós-graduando em Docência com ênfase em Educação Básica

Elvira Carolina Bicalho

Engenheira Ambiental; Pós-graduanda em Gestão Pública e de Pessoas

Sofia Luiza Brito

Bióloga; Mestre e Doutora em Ecologia

Jaquelline Carla Valamiel de Oliveira e Silva

Bióloga; Mestre e Doutora em Imunoparasitologia

Downloads

Publicado

31/12/2020

Como Citar

Contini, G., Bicalho, E. C., Brito, S. L., & Oliveira e Silva, J. C. V. de. (2020). Epidemia de febre amarela na bacia do Rio Doce: análise de fatores ambientais, epidemiológicos e efeitos indiretos do rompimento da barragem de Fundão (Samarco S/A). Revista Engenharia De Interesse Social, 5(6), 53–76. https://doi.org/10.35507/25256041/reis.v5i6.4815

Edição

Seção

Dossiê temático