O documentário “PÓLIS: Viver na cidade Grega antiga”: Uma confluência entre Comunicação e Educação no âmbito dos museus

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i1.4533

Palavras-chave:

Documentário, Museus, Museologia, História da Educação

Resumo

Neste artigo nos propomos a analisar o documentário “Pólis: Viver na Cidade Grega Antiga”, produzido pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP) tratando-o como um recurso de comunicação no âmbito da Educação, especialmente relacionando-o com a História da Educação em Museus. Realizamos uma investigação de caráter qualitativo, baseados num exercício de análise teórica com bibliografia das áreas Audiovisual, Educação e Museologia. Notamos que tal documentário presta-se a realizar e veicular um registro histórico de uma prática educativa museal e sua respectiva concepção museológica. Ou seja, além de ser intrinsecamente um recurso comunicacional, este documentário cumpre também a função de documentar atividades educativas desenvolvidas pelo museu citado no momento de sua gravação, uma tecnologia de comunicação e documentação pedagógica. Assim, compreendemos que o presente artigo contribui com um exemplo de confluência entre Comunicação e Educação através  de um olhar direcionado à educação museal numa perspectiva histórica.


Biografia do Autor

Cleberson Henrique de Moura, Universidade de São Paulo

Chefe da Seção de Apoio Institucional do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP) e graduando em Pedagogia pela Faculdade de

Maria Cristina Nicolau Kormikiari, Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP)

Professora Doutora na área de Arqueologia Clássica no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP) e pesquisadora do Laboratório de estudos sobre a cidade antiga (Labeca-MAE/USP).

Fabíola Alice dos Anjos Durães, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP).

Mestranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (PPGE-FEUSP). Bacharelada e licenciada em Geografia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP).

Referências

ALLARD, Michel; BOUCHER, Suzanne. Le musée et l’école. Québec: Hurtubise HMH, 1991.

ALMEIDA, Adriana Mortara; VASCONCELLOS, Camilo de Mello. Por que visitar museus. In. BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes (org.). O saber histórico na sala de aula. 11 ed. São Paulo: Contexto, 2006.

BEST, Francine. Por uma Pedagogia do despertar. Lisboa: Livros Horizonte, 1980.

BITTENCOURT, José Neves. Gabinetes de Curiosidades e Museus: sobre tradição e rompimento. Anais do Museu Histórico Nacional, v. 28, p. 151-174, 1996.

CARNEIRO, Carla. Gibertoni. Ações educacionais no contexto da arqueologia preventiva: uma proposta para a Amazônia. 2009. Tese (Doutorado em Arqueologia) - Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

CAZELLI, Sibele; MARANDINO, Martha; STUDART, Denise Coelho. Educação e Comunicação em Museus de Ciências: aspectos históricos, pesquisa e prática. In: Educação e Museu: a construção social do caráter educativo dos museus de ciências. Rio de Janeiro: FAPERJ, Editora Access, 2003.

FLEMING, Maria Isabel D'Agostino; FLORENZANO, Maria Beatriz Borba. Trajetória e perspectivas do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP (1964-2011). Estudos Avançados, São Paulo, v. 25, n. 73, p. 217-228, 2011.

FRONZA-MARTINS, Aglay Sanches. Da Magia a Sedução: a importância das atividades educativas não-formais realizadas em Museus de Arte. Revista de Educação (Itatiba), v. IX, p. 71-76, 2006.

GERBASE, Carlos. Cinema: primeiro filme: descobrindo, fazendo, pensando. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2012.

KNAUSS, Paulo. A presença de estudantes: o encontro de museus e escola no Brasil a partir da década de 50 do século XX. Varia hist., Belo Horizonte, v. 27, n. 46, p. 581-597, dec. 2011.

MARANDINO, Martha (org.). Educação em museus: a mediação em foco. 1. ed. São Paulo: Pró-Reitoria Cultura e Extensão USP e GEENF/FEUSP, v. 1, 2008.

MARTINS, Luciana Conrado. A relação museu/escola: teoria e prática educacionais nas visitas escolares ao Museu de Zoologia da USP. São Paulo, 2006. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade de São Paulo, 2006.

NEVES, Margarida de Souza. Uma arena pacífica. In: MAST. Imagens do progresso: os instrumentos científicos e as grandes exposições. Rio de Janeiro: MAST, 2001, p. 2-8. Disponível em: http://www.mast.br/images/pdf/publicacoes_do_mast/catalogo_exposicao_imagem_do_progresso.pdf. Acesso em: 12 mar. 2020.

PÓLIS: Viver na Cidade Grega Antiga. Publicado no canal Labeca MAE. São Paulo: MAE-USP, 2017. 1 vídeo (18 min 58 seg). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=DcyeHC2jIPI. Acesso em: 16 nov. 2019.

RAFFAINI, Patrícia Tavares. Museu contemporâneo e os gabinetes de curiosidades. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 3, p. 159-164, 1993.

SÁ, Ivan Coelho. Institucionalização das práticas museológicas: oitenta anos do Curso de Museus. In: MAGALHÃES, Aline Montenegro; BEZERRA, Rafael Zamorano. 90 anos do Museu Histórico Nacional em debate (1922-2012). Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2014.

SANTOS, Maria Célia T. Moura. Repensando a ação cultural e educativa dos museus. Centro Editorial e Didático da UFBA, 1993.

SOARES, Sérgio José Puccini. Documentário e roteiro de cinema: da pré-produção a pós-produção. 2007. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Artes, Campinas, SP.

Downloads

Publicado

30/07/2020

Como Citar

Moura, C. H. de, Kormikiari, M. C. N., & Durães, F. A. dos A. (2020). O documentário “PÓLIS: Viver na cidade Grega antiga”: Uma confluência entre Comunicação e Educação no âmbito dos museus. SCIAS - Educação, Comunicação E Tecnologia, 2(1), 39–55. https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i1.4533