Educação e Tecnologia na formação docente: Representações sobre jogos digitais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i1.4617

Palavras-chave:

Jogos digitais, Cultura digital, Formação docente

Resumo

O artigo apresenta resultados de pesquisa que objetivou identificar e analisar as representações sobre jogos eletrônicos, jogos digitais e refletir sobre estes saberes, construídos no processo de formação docente. Participaram do estudo graduandos do oitavo período do curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais. Os dados foram coletados mediante questionário aberto, numa tentativa de evidenciar o pensamento no contexto da formação docente. Os resultados apresentam um panorama sobre as representações dos graduandos sobre as tecnologias digitais construídas no processo de formação, sendo este um fator que interfere e redefine a ação docente no processo ensino-aprendizagem.

Biografia do Autor

Darsoni Oliveira Caligiorne, FIEMG - Faculdades Integradas de Minas Gerais

Pedagoga, pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Pós-graduada em Psicopedagogia e
Informática Educativa pelo Instituto de Educação Continuada da Pontifícia Universidade Católica do Estado de
Minas Gerais, Mestre em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina. É
professora universitária há mais de 20 anos, lecionando as disciplinas nas áreas da Didática, Letramento Digital,
Práticas de Ensino, Estágio Supervisionado, Teorias Pedagógicas e Educação e Tecnologia. É integrante do
Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Educação, Comunicação e Tecnologia (NECT-UEMG), no qual discute sobre
as práticas pedagógica e tecnológicas na formação docente. Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisa em
Educação, Conhecimento e Tecnologia (NEPCED/UFMG), investiga a Cultura digital, letramento e alfabetização
nas escolas públicas. É integrante do Núcleo de Pesquisa sobre Condição e Formação docente (PRODOC/UFMG)
pesquisando propostas e programas de formação docente, cultura digital e currículo

Referências

ALVES, Flora. Gamification: como criar experiências de aprendizagem engajadoras: um guia completo do conceito a prática. São Paulo: DUS Editora. 2014.

ALVES, Lynn, Jogos eletrônicos e screenagers; possibilidades de desenvolvimento e aprendizagem. In: ALVES, Lynn; SANTOS, Edméa (Org.). Práticas pedagógicas e tecnologias digitais. Rio de Janeiro: E-papers, 2006. p.143-157.

ARRUDA, Eucídio Pimenta. Fundamentos para o desenvolvimento de jogos digitais. Porto Alegre: Bookman, 2014.

BEHRENS, Marilda Aparecida. Projetos de aprendizagem colaborativa num paradigma emergente. In: MORAN, José Manuel; MASSETO, Marcos Tarcisio; BEHRENS, Marilda. Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. São Paulo: Papirus, 2000. p. 67-132.

BOURDIEU, Pierre. O senso prático. Trad. Maria Ferreira. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009, p.07-40.

BRASIL, Ministério da Educação - Secretaria de Educação a Distância- PROINFO - Programa Nacional de Informática na Educação. Aprender a construindo: A Informática de transformando com professores. Brasília- DF, 1997.

CARVALHO, Sandro de Paiva; PEDROSA, Stella Maria Peixoto de Azevedo; ROSADO, Luiz Alexandre da Silva. A produção de jogos eletrônicos para a educação: investigando os bastidores. Revista Educação Unisinos, São Leopoldo, n.3, p.374-386, set/dez. 2017. Disponível em: <http://www.revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2017.213.11 > Acesso em:12 outubro 2017.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Trad. Bruno Magne. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

GARCIA, Regina Leite; ALVES, Nilda. Sobre formação de professores e professoras: questões curriculares. In: LIBANEO, José Carlos; ALVES, Nilda (Org.).Temas de pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012, p.498-510.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO. Elba Siqueira de Sá (Orgs.).Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

GIROUX, Henri. Jovens, diferença e educação pós-moderna. In: CASTELLS, Manuel (Org.). Novas perspectivas críticas em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. p.63-85.

GREENFIELD, Patrícia. O desenvolvimento do raciocínio na era eletrônica: os efeitos da tv, computadores e videogames. Trad. Cecília Bonamiel, São Paulo: Summus, 1988.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 4. ed. Tradução João Paulo Monteiro. São Paulo: Perspectiva, 1993.

JOHNSON, Steve. Surpreendente! A televisão e o videogame nos tornam mais inteligentes. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

LAKATOS, Eva Maria & MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica -1. 05. Ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LEMOS, Susana; PEDRO, Neuza. Competências digitais dos docentes do ensino superior. In. Congresso Internacional TIC e Educação, 2., Lisboa. Anais eletrônicos... Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2012. Disponível em:< http://ticeduca.ie.ul.pt/atas/pdf/atas.pdf > Acesso em: 25 novembro2013.

LUCCHESE, Fabiano; RIBEIRO, Bruno. Conceituação de Jogos Digitais. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2005.Disponível em:<http://www.dca.fee.unicamp.br/~martino/disciplinas/ia369/trabalhos/t1g3.pdf > Acesso em: 04 maio 2014.

MARTINO, Luís Mauro Sá. Teoria das mídias digitais: linguagem, ambientes, redes. 2.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

MASETTO, Marcos Tarcisio. Mediação pedagógica e o uso da tecnologia. In: MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos Tarcísio; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. São Paulo: Papirus, 2000. p.133 – 173.

MENDES, Claudio Lúcio. Jogos eletrônicos: diversão, poder e subjetivação. Campinas, São Paulo: Papirus, 2006.

MILL, Daniel. Reflexões sobre a formação de professores pela/para educação a distância na contemporaneidade: convergência e tensões. Anais: XV – Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, Belo Horizonte: Autentica. 2010.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. Ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2009, p.21-23.

NOGUEIRA, Solange Maria do Nascimento. Integração formação docente inicial e continuada com a mediação de didática & novas tecnologias. In: SANTOS, Edméia; ALVES, Lynn (Orgs.). Práticas pedagógicas e tecnologias digitais. Rio de Janeiro: E-papers, 2006. p.31-56.

PFUTZENREUTER, Edson do Prado; STANO, Rita de Cássia Magalhães Trindade. Jogos como elemento mediador no processo de construção de conhecimento no espaço universitário. In: Seminário Jogos, Educação e Comunicação: Construindo Novas Trilhas, 04, Salvador, BA: 2008. Disponível em: <http://www.comunidadesvirtuais.pro.br/seminario4/trab/epp_rcmts.pdf> Acesso em: 25 agosto 2010.

PINHEIRO, Cristiano Max Pereira. Apontamentos para uma aproximação entre jogos digitais e comunicação. 2007. 201f. Tese (Doutorado). Programa de Pós-graduação em Comunicação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2007.

PRENSKY, Marc. Aprendizagem baseada em jogos digitais. Trad. Eric Yamagute, São Paulo: Editora Senac, 2012.

RIBEIRO, Ana Elisa. Tecnologia digital. In: Glossário Ceale. Belo Horizonte:UFMG/ Faculdade de Educação.2014. p.317- 318.

ROSA, Wagner; REZENDE, Lucinea Aparecida de; CRUZ E MELO, Carlo Alessandro Galdino. O processo de ensino e aprendizagem a partir da prática da encenação com o uso de recursos audiovisuais. Londrina, PR: UEL/PUCPR, 2008.

SACRISTÀN, José Gimeno. O currículo uma reflexão sobre a Prática. Trad. ROSA, Ernani Ferreira da Fonseca. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 19 ed. Rio de Janeiro: Record, 2010.

SAVI, Rafael; ULBRICHT, Vania Ribas. Jogos digitais educacionais: benefícios e desafios. Revista Renote, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, n.1, junho. 2008. Disponível em:<https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/14405>Acesso em: 12 outubro 2014.

SILVA, Alex Alvares. Aprendizagem histórica e jogos eletrônicos: a consciência histórica entre o conhecimento e a simulação. In: Simpósio Nacional de História - Contra os preconceitos: história e democracia, 29., Brasília. Anais eletrônicos... Brasília: UNB, 2017. Disponível em: < https://www.snh2017.anpuh.org/site/anais#A > Acesso em: 27 agosto 2017.

SILVA, M. Internet na escola e inclusão. Tecnologias na escola – Ministério da Educação. 2004. Disponível em:< http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/2sf.pdf>. Acesso em: 19 set. 2014.

SILVA, Marco. A sala de aula interativa: a educação presencial e a distancia em sintonia com a Era Digital e com a cidadania. Boletim Técnico Senac, Rio de Janeiro, v.27, n.02, p. 43-49. Mai./ago.2001.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional.17.ed.Petrópolis, RJ:Vozes, 2014.

TONÉIS, Cristiano Natal. Os games na sala de aula:games na educação ou a gamificação da educação? Santa Monica, Florianópolis:Editora Bookes. 2016.

Downloads

Publicado

30/07/2020

Como Citar

Caligiorne, D. O. (2020). Educação e Tecnologia na formação docente: Representações sobre jogos digitais. SCIAS - Educação, Comunicação E Tecnologia, 2(1), 117–133. https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i1.4617