“Minha mãe e Eu”: Mulheres, Professoras e trocas educacionais em tempos de distanciamento social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i2.4953

Palavras-chave:

Mulheres Professoras, Trabalho Remoto, COVID-19.

Resumo

Este texto apresenta um relato de experiência a partir das vivências de duas mulheres professoras, mãe e filha, durante a pandemia do COVID-19. Buscamos responder o seguinte questionamento: quais condições de trabalho são colocadas as mulheres professoras, no contexto da pandemia mundial? Para isso, partimos das nossas experiências, e vivências, enquanto duas professoras, que passam por esse isolamento juntas. Tencionamos a necessidade de efetivar discussões que não apenas levem em consideração a desigualdade educacional inerente ao acesso à tecnologia, mas que também reflitam sobre as condições trabalhistas de mulheres professoras, em situação de isolamento. Por fim, destacamos que as condições colocadas ao trabalho remoto por meio de tecnologias digitais, pouco levam em conta o acúmulo da jornada de trabalho direcionado a mulher.

Biografia do Autor

Carolina Queiroz Santana, Universidade Federal da Bahia

raduada em Licenciatura em Química- UFRB- Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - Centro de Formação de Professores, se interessa por pesquisas nas áreas de Ensino e História das Ciências, tendo como foco a História das Mulheres na Ciência e suas implicações para o Ensino de Ciencias/Química. Atualmente está cursando o Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Ensino História e Filosofia da Ciência na Universidade Federal da Bahia e atua como Professora (Substituta) no curso de Licenciatura em Química- UFRB- Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - Centro de Formação de Professores.

 

Noemia Barreto Queiroz Santana, Rede Municipal de Educação da Bahia

Graduada em licenciatura em Pedagogia, possui pós-gradução em gestão educacional. Já atuoul na direção e coordenação de escola da educação básica no municipio de Milagres-Ba. Atualmente é professora da educação básica no mesmo municipio.

Referências

ALMEIDA, Jane Soares de. As professoras no século XX: as mulheres como educadoras da infância. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO. 2004. p. 1-12.

BAALBAKI, E. C. F. E divulgação científica e o discurso da necessidade. LETRAS, v.24, n.48, p. 379-396, Santa Maria, 2014.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo. Nova Fronteira, v.1, 2019.

CANDIDO, Marcia Rangel; CAMPOS, Luiz Augusto. Pandemia reduz submissões de artigos acadêmicos assinados por mulheres, Blog DADOS, 2020. Disponível em: < http://dados.iesp.uerj.br/pandemia-reduz-submissoes-de-mulheres/>. Acesso em: 06 de julho de 2020.

COLLINS, Patricia Hill. Black feminist thought in the matrix of domination. Black feminist thought: Knowledge, consciousness, and the politics of empowerment, v. 138, p. 221-238, 1990.

FEDERICI, Silvia. O ponto zero da revolução: trabalho doméstico, reprodução e luta feminista. Tradução Coletivo Sycorax. São Paulo : Elefante, 2019

GONÇALVES, Renata. O feminismo marxista de Heleieth Saffioti. Lutas Sociais, n. 27, p. 119-131, 2011.

GONZÁLEZ, Verónica. Una introducción a los estudios sobre ciencia y género. Argumentos de Razón Técnica, 2005,(8): 43-66, 2005.

HARDING, Sandra G. (Ed.). The feminist standpoint theory reader: Intellectual and political controversies. Psychology Press, 2004.

IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento. Aspectos dos cuidados das crianças de menos de 4 anos de idade: 2015. – Rio de Janeiro : IBGE, 2017

MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão et al. A base nacional comum curricular: um novo episódio de esvaziamento da escola no Brasil. Germinal: marxismo e educação em debate, v. 9, n. 1, p. 107-121, 2017.

MIGUEL, Luis Felipe. Da “doutrinação marxista” à" ideologia de gênero"-Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Revista Direito e Práxis, v. 7, n. 15, p. 590-621, 2016.

PARENT IN SCIENCE. PRODUTIVIDADE ACADÊMICA DURANTE A PANDEMIA: Efeitos de gênero, raça e parentalidade, 2020. Disponível em: < https://www.parentinscience.com>. Acesso em: 06 de julho de 2020.

PERROT, Michelle. Escrever uma história das mulheres: relato de uma experiência. cadernos pagu, n. 4, p. 9-28, 1995.

PIRES, Izadora dos Santos; SANTOS, Victor Ferreira Dias; MESSEDER, Hélio da Silva – Tirando as máscaras para falar da escola pública. Site do Partido Comunista Brasileiro, 2020. Disponível em: < https://pcb.org.br/portal2/25557/tirando-as-mascaras-para-falar-da-escola-publica/>. Acesso em: 02 de julho de 2020.

Saviani D. Escola e democracia. 42a ed. Campinas: Autores Associados; 2012.

OLIVEIRA, Anita Loureiro. A espacialidade aberta e relacional do lar: a arte de conciliar maternidade, trabalho doméstico e remoto na pandemia da covid-19. Revista Tamoios, v. 16, n. 1, 2020.

ONU-MULHERES. Gênero e covid-19 na América Latina e no Caribe: dimensões de gênero na resposta. 2020. Disponível em:< http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2020/03/ONU-MULHERES-COVID19_LAC.pdf > Acesso em: 02 de julho de 2020.

REIS, Toni; EGGERT, Edla. Ideologia de gênero: uma falácia construída sobre os planos de educação brasileiros. Educação & Sociedade, v. 38, n. 138, p. 9-26, 2017.

RODRIGUES, Larissa Zancan; PEREIRA, Beatriz; MOHR, Adriana. O Documento “Proposta para Base Nacional Comum da Formação de Professores da Educação Básica”(BNCFP): Dez Razões para Temer e Contestar a BNCFP. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, p. 1-39, 2020.

SIQUEIRA, Rafael Moreira. Currículo e políticas curriculares para o ensino médio e para a disciplina química no Brasil: uma análise na perspectiva histórico-crítica. 2019. Tese (Doutorado em ensino, história e filosofia das Ciências) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

SOS CORPO– Tempos modernos? Trabalho das mulheres em pandemia, 2020. Disponível em: < https://outraspalavras.net/feminismos/tempos-modernos-trabalho-feminino-em-pandemia/>. Acesso em: 02 de julho de 2020.

UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância. CONVENCAO SOBRE A ELIMINACAO DE TODAS AS FORMAS DE DISCRIMINACAO CONTRA AS MULHERES. 1979.

Downloads

Publicado

12/02/2021

Como Citar

Santana, C. Q., & Santana, N. B. Q. (2021). “Minha mãe e Eu”: Mulheres, Professoras e trocas educacionais em tempos de distanciamento social. SCIAS - Educação, Comunicação E Tecnologia, 2(2), 270–286. https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i2.4953