Vivências e experiências de uma mãe professora sobre usos da tecnologia em dias de distanciamento social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i2.5056

Palavras-chave:

Educação, Tecnologia, Distanciamento social, mulher

Resumo

Este artigo de opinião trata dos dias de uma mulher, mãe, professora e estudante durante o isolamento social e o uso das tecnologias. Neste momento, muitas vezes os papéis se misturam, um precisa se sobrepor ao outro para que as tarefas sejam realizadas com sucesso, mas nem por isso o outro papel se tornou menos importante. Isso gera emoções que precisam ser trabalhadas para que a mulher permaneça inteira e desempenhe todos os papéis que cabem à ela. O distanciamento social pode ser cruel quando não permite o encontro dos amigos e o refrescar da alma, pois o contato de forma virtual não permite abraços, que reiniciam a alma. Há que se permanecer atento aos sinais de cansaço mental, pois esse é muito mais preocupante que o físico.

Biografia do Autor

Cislene Gomes Freitas

Pedagoga formada na UEMG

Pos graduada em Educação Infantil e Alfabetização e Letramento pelo CEPEMG

Pós graduada em Tecnologias Digitais e Educação 3.0 pela UFMG

Referências

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias também servem para informar e comunicar. In: Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas. SP: Papiruas, 2007, pag 15-26.

SARTORI, Ademilde Silveira; ROESLER Jucimara; FONTANA Klater Bez; BORGES Martha Kaschny. Tecnologia, Educação e aprendizagem: os desafios para o educador na era da comunicação e da informação. Florianópolis. UESC, 2002.

Downloads

Publicado

12/02/2021

Como Citar

Freitas, C. G. (2021). Vivências e experiências de uma mãe professora sobre usos da tecnologia em dias de distanciamento social. SCIAS - Educação, Comunicação E Tecnologia, 2(2), 355–360. https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i2.5056