Uma janela para o mundo: ensaio sobre maternidade, produção científica e uso de tecnologias em tempos de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i2.5087

Palavras-chave:

maternidade, ciência, tecnologias, pandemia de coronavírus

Resumo

Este ensaio trata, por meio de minha narrativa pessoal, sobre a questão de que carreiras acadêmicas de mães pesquisadoras têm sido afetadas pela importante obrigatoriedade de isolamento social durante a pandemia de coronavírus e sobre as relevantes contribuições das tecnologias para minimizar esses impactos. A produção e divulgação de ciência por parte dessas mulheres diminuiu consideravelmente durante a pandemia, e é também menor em relação ao mesmo trabalho realizado por homens, pois a compreensível urgência do cuidado com os filhos e com o ambiente doméstico parece estar sendo mais assumido por elas. As reflexões pretendem contribuir para a afirmação das tecnologias como instrumentos fundamentais ao fazer científico, especialmente durante o momento atual de quarentena, e para as discussões sobre o enfrentamento da disparidade de gênero na academia.

Biografia do Autor

Ariana Campana Rodrigues, UNESP- Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Ciências e Letras - campus de Assis

Psicóloga e doutoranda em Psicologia na UNESP - Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Ciências e Letras - campus de Assis

Referências

ARENDT, H. Homens em tempos sombrios. São Paulo: Companhia das Letras, 1968.

BATALHA, E. Entrevista com Thais Florencio de Aguiar. Radis, 01 de março de 2019. Disponível em: https://radis.ensp.fiocruz.br/index.php/home/reportagem/maternidade-cabe-no-lattes. Acessado em 09/08/2020.

BITENCOURT, S.M. Candidatas à ciência: compreensão da maternidade na fase do doutorado. Florianópolis, 2012. Tese (Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Pós-Graduação em Sociologia Política.

BITENCOURT, S.M. Os efeitos da política de produtividade para as novas gerações de acadêmicas na fase do doutorado. Estud. sociol. Araraquara, v.19, n.37 p.451-468, 2014. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/estudos/article/view/6834/5234. Acessado em 05/08/2020.

DOMINGUES, J. A. Ensaio como método. LusoSofia: Covilhã, 2019. Disponível em: http://www.lusosofia.net/textos/20190809-domingues_jose_2019_ensaio_como_metodo.pdf. Acessado em 02/08/2020.

FABBRO; M.R.C.; HELOANI, J.R.M. Mulher, maternidade e trabalho acadêmico. Invest Educ Enferm. v 28, n. 2, p. 176-186, 2010. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/iee/v28n2/v28n2a04.pdf. Acessado em 13/08/2020.

FEENBERG, 2003. O que é filosofia da tecnologia? Conferência realizada para estudantes universitários em Komaba, Junho de 2003. Disponível em: http://www.sfu.ca/~andrewf/Feenberg_OQueEFilosofiaDaTecnologia.pdf. Acessado em 04/08/2020.

FEENBERG, A. Critical theory of technology. New York: Oxford University Press, 1991.

LÉVY, P. A Conexão Planetária: o mercado, o ciberespaço, a consciência. São Paulo: Editora 34, 2001.

LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola, 2003.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 2000.

LÉVY, P. Entrevista ao programa Roda Viva. São Paulo: TV Cultura, 08/01/2001. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=DzfKr2nUj8k. Acessado em 06/08/2020.

LÉVY, P. O que é virtual? São Paulo: Editora 34, 1996.

MARICONDA, P. R.; MOLINA, F. T. Entrevista com Andrew Feenberg. Sci. Stud, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 165-171, Mar. 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ss/v7n1/v7n1a09.pdf. Acessado em 04/08/2020.

MÁRQUEZ, G.G. Cem anos de solidão. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MENEGHETTI, F. K. O que é um ensaio-teórico? Rev. adm. contemp., Curitiba, v. 15, n. 2, p. 320-332, Apr. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rac/v15n2/v15n2a10.pdf. Acessado em 03/08/2020.

MONTAIGNE, M. Os ensaios. Livro 1. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

NEDER, R.T. (Org.) A teoria crítica de Andrew Feenberg: racionalização democrática, poder e tecnologia. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/CDS/UnB/CAPES, 2010.

PARENT IN SCIENCE. Produtividade acadêmica durante a pandemia: efeitos de gênero, raça e parentalidade. Maio de 2020. Disponível em: https://327b604e-5cf4-492b-910b-e35e2bc67511.filesusr.com/ugd/0b341b_81cd8390d0f94bfd8fcd17ee6f29bc0e.pdf?index=true. Acessado em 08/08/2020.

SANTOS, B.S. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Editora Almedina, 2020.

STANISCUASKI, F. et al. Gender, race and parenthood impact academic productivity during the COVID-19 pandemic: from survey to action. BioRxiv, 04/07/2020a. Disponível em: https://www.biorxiv.org/content/10.1101/2020.07.04.187583v1.full.pdf+html. Acessado em 11/08/2020.

STANISCUASKI, F. et al. Impact of COVID-19 on academic mothers. Science, 15/05/2020b, vol. 368, p. 724. Disponível em: https://science.sciencemag.org/content/368/6492/724.1. Acessado em 10/08/2020.

Downloads

Publicado

12/02/2021

Como Citar

Campana Rodrigues, A. (2021). Uma janela para o mundo: ensaio sobre maternidade, produção científica e uso de tecnologias em tempos de pandemia. SCIAS - Educação, Comunicação E Tecnologia, 2(2), 308–327. https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i2.5087