As IMBRICAÇÕES HISTÓRICAS ENTRE TEATRO E CURRÍCULO ESCOLAR

Autores

  • Caio Nascimento Senac-SP e UERJ

Palavras-chave:

pedagogia do teatro, ensino de teatro, arte educação

Resumo

Este trabalho pretende discutir os objetivos do teatro e o papel do professor de arte/teatro na Educação Básica a partir de análise histórica da arte nas políticas educacionais. Considerando as premissas declaradas em alguns documentos basilares da educação, o artigo objetiva refletir sobre o teatro no contexto da Educação Básica e da viabilidade de algumas diretrizes das políticas educacionais no Brasil, sobretudo, no que concerne às artes cênicas. Outrossim, serão comentados os entraves históricos que dificultam a concretização da arte educação pautada na formação integral dos estudantes. Tem-se como hipótese que a arte ainda tem estigma de componente curricular supérfluo ocupando um lugar inferiorizado na educação. Não obstante, uma atuação docente pautada no compromisso om as políticas educacionais e no diálogo com os diversos atores sociais pode fomentar algumas mudanças nessa perspectiva cercada de preconceitos acerca da pedagogia teatral.

Referências

ALBUQUERQUE, S. J. Representando o Irrepresentável: Encenações de Tortura no Teatro Brasileiro da Ditadura Militar. Latin American Theatre Review, v. 21, n. 1, p. 5-18, 1987.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular, BNCC. Brasília, 2018.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Brasília: MEC, 2010.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB. 1996.

DESGRANGES, F. Pedagogia do teatro: provocação e dialogismo. 2.ed. São Paulo: Crucite, 2011.

FISCHER, E. A necessidade da arte. Tradução Anna Bostock. Rio de Janeiro: Editora Guanabara,1987.

FREITAS, T. T. M. Movimento contra a intolerância: o teatro brasileiro frente à ditadura militar. Cadernos de História, v. 15, n. 1.

FUSARI, M.F.R.; FERRAZ, M. H. C. T. Metodologia do ensino da arte. São Paulo: Editora Cortez, 2. ed., 1999.

GUÉNOUN, D. O teatro é necessário? São Paulo: Perspectiva, 2004

JAPIASSU, R. Metodologia do ensino do teatro. 8. ed. São Paulo: Ed. Papirus, 2001.

KOUDELA, I. D. Jogos Teatrais. São Paulo: Perspectiva, 1998.

LAFER, C. O Planejamento no Brasil: Observações sobre o Plano de Metas (1956-1961). IN: LAFER, Betty Mindlin. Planejamento No Brasil. 2 ed. São Paulo: Perspectiva S.A., 1973.

MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais - Arte. Ensino Fundamental. Brasília: MEC, 2007.

NÓVOA, A. Complexo de Formação de professores: um novo modelo institucional para a formação de professores na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Relatório de final de missão institucional. 2017a.

PAES, M. H. S. A década de 60: rebeldia, contestação e repressão política. 2. ed. São Paulo: Ática, 1993.

PEIXOTO, F. O que é teatro? São Paulo: Editora Brasiliense. 1981.

REVERBEL, O. Um caminho do teatro na escola. São Paulo: Scipione, 1997.

ROSÁRIO, M. J. A. do; MELO, C. N. de. A educação jesuítica no brasil colônia. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, nº 61, p. 379-389, mar2015 – ISSN: 1676-2584

SAVIANI, D. História das idéias políticas e pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

SOARES, C. A. O ensino de arte na escola brasileira: fundamentos e tendências Dissertação (mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de Uberaba, Uberaba, 2016.

Downloads

Publicado

10/08/2021

Como Citar

Nascimento, C. (2021). As IMBRICAÇÕES HISTÓRICAS ENTRE TEATRO E CURRÍCULO ESCOLAR. SCIAS - Arte/Educação, 9(1), 93–108. Recuperado de https://revista.uemg.br/index.php/scias/article/view/5894