Cuidados e Educação na pandemia: Uma abordagem a partir dos feminismos latino-americanos

Autores

  • Paola Bonavitta Universidade Nacional de Córdoba, Argentina
  • Amanda Motta Castro UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE/FURG
  • Desirée Pires Universidade Federal do Rio Grande/FURG

DOI:

https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i2.5104

Palavras-chave:

Mulheres. Pandemia. Cuidados. Educação. Feminismos.

Resumo

A pandemia da COVID-19 nos confrontou com realidades inesperadas, mas também com outras as quais os feminismos denunciam há décadas. Entre elas, o fato de ocuidado terestado majoritariamente a cargo da mulher, de maneira desigualmente distribuída. Desse modo, enquanto tudo mudava abruptamente para virtualidade (trabalho, educação, entretenimento, atividades recreativas, entre outros), as mulheres tiveram que realizar diversas tarefas de trabalho profissional, doméstico e de cuidado simultaneamente. Assim, no mesmo espaço e tempo, tiveram que cuidar e acompanhar os seus filhos/as com as tarefas da escola, higienizar os espaços, trabalhar remotamentepara o sustento da renda e prever a organização do lar diariamente. Neste ensaio,refletimos, do ponto de vista feminista e latino-americano, sobre as travessias que as mulheres têm enfrentadodiante da sobrecarga de trabalho e das responsabilidades na atual conjuntura de pandemia.

Biografia do Autor

Paola Bonavitta, Universidade Nacional de Córdoba, Argentina

Doutora em Estudos Sociais na América Latina, Mestra em Sociologia, Graduada em Comunicação Social pela Universidade Nacional de Córdoba, Argentina. Especialista em Feminismos Políticos pela Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM). Professora universitária e pesquisadora.

Amanda Motta Castro, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE/FURG

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul/FURG e docente do Departamento de Educação da mesma instituição. Doutora pelo programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos/UNISINOS; foi bolsista CAPES durante (2009-2015) e realizou estágio de doutoramento na Universidad Autónoma Metropolitana del México - UAM, no departamento de Antropologia. Trabalha com os seguintes temas de pesquisa: Feminismo, Educação Popular, Arte Popular e desigualdades sociais. Contato: motta.amanda@gmail.com

 

Desirée Pires, Universidade Federal do Rio Grande/FURG

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação/PPGEDU da Universidade Federal do Rio Grande/FURG. Graduada em História Licenciatura pela mesma universidade.

Referências

ARRUZA, C; BHATTACHARYA, T; FRASER, N. Feminismo para os 99%: um manifesto. São Paulo: Boitempo, 2019.

CAF. Cerrar la brecha digital en América Latina y el Caribe depende críticamente de la transformación de los Fondos de Servicio Universal. Congreso Latinoamericano de Telecomunicaciones 2019. Córdoba: Banco de desarrollo de América Latina.

CHEYNE, Deysi. Una reflexión feminista sobre la pandemia del Covid-19. 2020 Disponível em : <https://www.uls.edu.sv/sitioweb/images/pdf/Una%20reflexi%C3%B3n%20feminista%20sobre%20la%20pandemia%20del%20Covid-19.pdf>

Colectivo feminista Precarias a la deriva. Precarización de La existencia y huelga de cuidados. Madrid: Cofas. 2016.

ENGUITA, M. Fernández. Una pandemia imprevisible ha traído la brecha previsible. 2020. Disponível em < https:// bit.ly/2VT3kzU>

FOURNIER, Marisa. Cuando lo que importa es la vida en común: intersecciones entre Economía Social, cuidados comunitarios y feminismo. En Norma Sanchis (comp.) El cuidado entiempos de pandemia... y más allá. Buenos Aires: Asociación Lola Mora, Red de Género y Comercio. 2020

GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América Latina. Editora L&PM. 2010.

GONZALES, Leila. Primavera para as Rosas Negras: Lélia Gonzalez, em Primeira Pessoa. União dos Coletivos Pan Africanistas. São Paulo. 2018

LARGO, F. (2020b, 13/01). Transformación digital versus digitalización. Recuperado de https://bit. ly/2tmYFMr Llorens-Largo, F. y FERNÁNDEZ, A. (2020, 01/04). Coronavirus, lapruebadelalgodón de launiversidad digital. Disponível em https://bit.ly/2Rm917XLlorens-Largo 2020.

LARGO, Faraón Llorens (2020). Recomendaciones para una docencia no presencial y apoyada con tecnología. Disponível em https://bit.ly/34kYXS5

ONU Mujeres. COVID-19 en América Latina y el Caribe: cómo incorporar a lasmujeres y laigualdad de género enlagestión de larespuesta a lacrisis.2020. Disponível em: https://lac.unwomen.org/es/digiteca/publicaciones/2020/03/covid-como-incorporar-a-las-mujeres-y-la-igualdad-de-genero-en-la-gestion-de-respuesta

RODRIGUEZ, Corina. Economía feminista y economía del cuidado. Aportes conceptuales para el estudio de la desigualdad. Revista Nueva Sociedad. NUSO Nº 256 / MARZO - ABRIL 2015. Disponível em: https://nuso.org/articulo/economia-feminista-y-economia-del-cuidado-aportes-conceptuales-parael-estudio-de-la-desigualdad/

SAFFIOTI, Heleith. Gênero, Patriarcado e Violência. São Paulo: Expressão Popular: Fundação Perseu Abramor, 2015.

SAFFIOTI, Heleith. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.

TELES, Maria Amélia de Almeida. Breve História do Feminismo no Brasil e outros ensaios. São Paulo: Editora Alameda, 2017.

TREJO-QUINTANA, Janneth. La falta de acceso y aprovechamiento de losmedios y lastecnologías: dos deudas de la educación en México. In: IISUE. Educación y pandemia. Una visión académica, México: UNAM, 2020. Disponível em: http://www.iisue.unam.mx/nosotros/covid/educacion-y-pandemia. Acesso em: 22 de julho de 2020.

Downloads

Publicado

12/02/2021

Como Citar

Bonavitta, P., Castro, A. M., & Pires, D. (2021). Cuidados e Educação na pandemia: Uma abordagem a partir dos feminismos latino-americanos. SCIAS - Educação, Comunicação E Tecnologia, 2(2), 34–51. https://doi.org/10.36704/sciaseducomtec.v2i2.5104