Letramento multimodal e arte-educação para a educação integradora:

um estudo cognitivo e retórico do videoclipe de College Boy

Autores

  • Larissa de Freitas Marques Evangelista Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) - Campus São João da Boa Vista https://orcid.org/0000-0003-4392-6260
  • Rosana Ferrareto Lourenço Rodrigues Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) - Campus São João da Boa Vista https://orcid.org/0000-0003-0332-4548

DOI:

https://doi.org/10.36704/eef.v25i46.5880

Palavras-chave:

Educação Integradora, Cognição, Retórica, Arte-Educação, Multimodalidade

Resumo

O propósito da educação integradora na contemporaneidade é promover o desenvolvimento do letramento multimodal para a compreensão da linguagem como um sistema complexo. Baseado nisso, este artigo propõe uma análise cognitiva e retórica, pela lente da arte-educação, na qualidade de ferramenta sociocultural de desenvolvimento humano para o ensino. Para tal, fora analisado o videoclipe College Boy como simulacro dos atratores multimodais da linguagem e das paixões humanas, para indicar a relação entre as hipóteses conceituais. Os resultados poderão impactar a formação educacional sensório-motora, além de contribuir com os campos de pesquisa das ciências linguísticas e artísticas, além de outras disciplinas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa de Freitas Marques Evangelista, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) - Campus São João da Boa Vista

Graduada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF), pós-graduanda em Humanidades pelo Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e aluna da licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Possui capacitações em Audiovisual e Educação (UFSCar), Processos de Arte na Educação (Funarte), Gestão Cultural (IF e UFPB), Fotografia (IFSULDEMINAS) e Web Designer (SENAC). Atuou como bolsista no projeto de extensão em Direitos Humanos (IFSP) e programa Lab Cultural (BDMG). É bolsista no projeto Laletec/aCOMTECe (IFSP). Tem experiência nas áreas de produção e gestão cultural, arte-educação, mediação e curadoria. Trabalha efetivamente nos projetos Olhar Circular (artes visuais) e Cine Olhar (audiovisual). O enfoque de pesquisa abrange temas em artes visuais; arte-educação; linguagem; cognição; projetos socioculturais; educação não formal; aprendizagem e pluralidade.

Rosana Ferrareto Lourenço Rodrigues, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) - Campus São João da Boa Vista

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa (Linguística Cognitiva, Unesp, 2012), com estágio de pós-doutorado realizado no Departamento de Ciências Cognitivas da Case Western Reserve University, em Cleveland, Ohio, EUA (2018/2019). Mestre em Linguística (Argumentação e Retórica, Unifran, 2008). Especialista em Design Instrucional (Unifei, 2015) e em Língua Inglesa (Unifran, 2006). Licenciada em Letras - Português/Inglês (Unifeg, 1997). É professora EBTT, câmpus São João da Boa Vista, e Docente do Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT), câmpus Sertãozinho, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo. Coordena a Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Informática na Educação. É líder do Grupo de Pesquisas em Comunicação Científica aCOMTECe. Atua, como pesquisadora, nas seguintes linhas: Linguística Cognitiva, Linguística Aplicada e Práticas Educativas em Educação Profissional e Tecnológica, a partir dos temas: Comunicação Científica, Escrita como processo de aprendizagem, Narrativa Cognitiva, Semântica de Frames, Multimodalidade na Linguagem, Argumentação e Retórica, Tecnologia e Educação, Metodologias Ativas, Aprendizagem Móvel, Formação de Professores e Avaliação.

Referências

ABREU, A. S. Criatividade: uma visão cognitiva e cultural para o século 21. São Paulo: Giostri, 2020. v. 1. 160p.

ABREU, A. S. Lições de Letramento. São Paulo: Giostri, 2021. v. 1. 250p.

ABREU, A. S. Linguística Cognitiva: uma visão geral e aplicada. Cotia: Ateliê Editorial, 2010, v.1. 120p.

ARISTÓTELES. Retórica das paixões. Prefácio de Michel Meyer. Tradução de Isis Borges B. da Fonseca. São Paulo: Martins Fontes, 2000. 128p.

ATIENZA, C. T. La teoría aristotélica de las emociones. Signos filosóficos. México, v. 11, n. 22, jul./dic. 2009.

BACARIN, L. M. B. P.; NOMA, A. K. História do movimento de arte-educação no Brasil. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 23., 2005, Londrina. Anais do XXIII Simpósio Nacional de História – História: guerra e paz. Londrina: ANPUH, 2005. CD-ROM.

BARBOSA, A. M. Arte-Educação no Brasil: realidade hoje e expectativas futuras . Estudos Avançados, [S. l.], v. 3, n. 7, p. 170-182, 1989. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/8536. Acesso em: 11 maio. 2022.

BARBOSA, A. M. In: GUIMARÃES, L. M. B,; PEROTTO, L. U. (Orgs.). Licenciatura em artes visuais: percurso 5 [Ebook]. Coleção Licenciatura em Artes Visuais. Goiânia: Gráfica da UFG, 2018, p. 160-164. Disponível em: https://publica.ciar.ufg.br/ebooks/licenciatura-em-artes-visuais/modulo/1/cp003.html. Acesso em: 30 abr. 2022.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira. Diário Oficial da União. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394. Acesso em: 01 maio 2022.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998, 116 p.

BREDARIOLLI, R. B. (In)versões didáticas: possibilidades poéticas para processos de formação docente. Revista Gearte, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 96-109, 2016. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/gearte/article/view/63638. Acesso em: 15 mar. 2021.

BRITO, G. A.; FIGUEIREDO, M. F.; SANTOS JUNIOR, V. F. Retórica e multimodalidade: a composição visual em foco. Revista (Con)Textos Linguísticos, Vitória, v. 14, n. 27, p. 194-214, 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/view/29160>. Acesso em: 10 mar. 2021.

BRUNING, K. C. S.. O gênero videoclipe sob um olhar intersemiótico. In: SIGNUM: Est. Ling. Londrina, v. 12, n. 2, p. 35-60, dez. 2009.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: Capitalismo e Esquizofrenia, Vol.4. 1 ed. São Paulo: 34, 1997. 176p.

DEWEY, J. Arte como experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010. 646p.

DIDI-HUBERMAN, G. O que vemos, o que nos olha. Tradução de Paulo Neves. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2010. 264p.

DIDI-HUBERMAN, G. Quando as imagens tocam o real. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], p. 206–219, 2012. Disponível em: <https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15454>. Acesso em: 5 abr. 2021.

DOLAN, X. Videoclipe (6 min). College Boy, publicado pelo canal da banda Indochine, 2013. Disponível em: < https://youtu.be/Rp5U5mdARgY>. Acesso em: 03 mar. 2021.

DUBOIS, Philippe. Cinema, vídeo, Godard. São Paulo: Cosac & Naify, 2004. 328p.

EISNER, E. W. The arts and the creation of mind. New Haven: Yale University Press, 2002. 280p.

FIGUEIREDO, Maria Flávia. A retórica das paixões revisitada. In: LUDOVICE, Camila de Araújo Beraldo Ludovice; MANFRIM, Maria Pacífico; FIGUEIREDO, Maria Flávia (org.). O texto: corpo, voz e linguagem. Franca, SP: Universidade de Franca, 2018. p. 141-158.

GAMBARD, D.; SOUSA, M. O videoclipe contemporâneo como crítica à sociedade pós-moderna: a representação do bullying escolar no videoclipe “College Boy”. Revista Anagrama: Revista Científica Interdisciplinar da Graduação. São Paulo, ano 8, ed. 2, jul./dez. 2014.

MEYER, M. Prefácio. In: ARISTÓTELES. Retórica das paixões. Tradução de Isis Borges B. da Fonseca. São Paulo: Martins Fontes, 2000. p. XVII-LI.

MOZDZENSKI, L. As configurações genéricas e multimodais do videoclipe. In: Signo [ISSN 1982-2014]. Santa Cruz do Sul, v. 38, n. 64, p. 100-117, jan./jun. 2013.

OLIVA, R.; BIDARRA, J.; ARAÚJO, D. (2017). Vídeo e storytelling num mundo digital: interações e narrativas em videoclipes. Comunicação e Sociedade, v. 32, p. 439-457. https://doi.org/10.17231/comsoc.32(2017).

SILVA, C. M. M. A dimensão cognitiva da paixão em Aristóteles. EID&A – Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação. Ilhéus, n. 4, p. 13-23, jun. 2013.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

de Freitas Marques Evangelista, L., & Ferrareto Lourenço Rodrigues, R. (2022). Letramento multimodal e arte-educação para a educação integradora:: um estudo cognitivo e retórico do videoclipe de College Boy. Educação Em Foco, 25(46), 188–227. https://doi.org/10.36704/eef.v25i46.5880