v. 18, n. 25 (2015)

Educação em Foco

DOI: http://dx.doi.org/10.24934/eef.v18i25


Capa da revista

ESCOLA ESTADUAL BARÃO DE MACAÚBAS

Primeira escola no bairro Floresta, em Belo Horizonte. Foi inaugurada em 7 de setembro de 1922, com o nome Grupo Escolar Barão de Macaúbas. Inicialmente a instituição oferecia vagas para estudantes do sexo masculino.

A escola foi construída dentro dos padrões dos prédios oficiais da época utilizando-se da retórica formal neoclássica trabalhada de forma eclética. Essa orientação estilística foi adotada nos prédios oficiais da nova capital de Minas Gerais no governo de Mello Viana, principalmente nas construções escolares, onde se objetivava identificá-los com padrões culturais elevados.

Em 1965, abriu a oferta de pré-primário e de curso noturno para o atendimento de trabalhadores da região. No fim da década de 1970, veio a mudança do nome para Escola Estadual Barão de Macaúbas.

O nome da escola é uma homenagem a Abílio César Borges, pedagogo e médico brasileiro, que foi um dos precursores do livro didático e um defensor da abolição dos castigos fisicos nas escolas. Por suas contribuições na área educacional, recebeu do Imperador D. Pedro II o título de “Barão de Macaúbas”.  Essa inscrição está gravada na fachada do prédio da escola, um patrimônio que ela ostenta com muito orgulho.

O tombamento do prédio pelo Instituto Estadual do Patrimônio Historico e Artistico de Minas Gerais/IEPHA foi aprovado pelo Decreto n° 27.927 de 15 de março de 1988. Em 2013, foram iniciadas a reforma e a restauração geral do prédio.

Fontes: IEPHA-MG e Revista Encontro